MENU

224 morrem em enchentes na Tailândia, e alagam patrimônio mundial

224 morrem em enchentes na Tailândia, e alagam patrimônio mundial

Atualizado: Terça-feira, 4 Outubro de 2011 as 9:18

Ao menos 224 pessoas morreram nas enchentes na Tailândia desde meados de julho e a água inundou o templo de 400 anos Chai Wattanaram na cidade antiga de Ayutthaya, um local considerado patrimônio mundial, disseram autoridades nesta terça-feira.

O templo fica ao lado do rio Chao Phraya, que segue em direção à capital Bagncoc, cerca de 105 quilômetros ao sul.

"O nível da água subiu até agora 1,5 metro e 150 soldados estão posicionados na área para consertar a barragem", disse Wittaya Pewpong, governador da província Ayutthaya. Ele acrescentou que mais de 200 dos 500 templos antigos na província foram afetados pelas enchentes.

Barco atravessa região de Wat Chaiwatthanaram, patrimônio da Unesco

alagado na Tailândia (Foto: Chaiwat Subprasom/Reuters)

  A Tailândia tem sido atingida por inundações expressivas causadas por tempestades tropicais e pelas chuvas sazonais de monções, que normalmente ocorrem de agosto a outubro.

O ministro da Cultura, Sukumol Kunplome, calculou os danos a locais históricos no país em cerca de US$ 3,2 milhões.

As enchentes também afetaram Bangcoc, que está apenas dois metros acima do nível do mar. O rio Chao Phraya transbordou nas estradas em alguns pontos, embora algumas autoridades tenham reforçado as barragens para evitar uma inundação severa.

Diversos trens para o norte foram suspensos por causa da água, informou o Departamento de Prevenção e Mitigação de Desastres. Cerca de 1,2 milhão de hectares de terras agrícolas estão submersas e o Departamento Meteorológico alertou para mais chuvas pesadas em muitas partes do país nos próximos dias.

No vizinho Camboja, 164 pessoas morreram em enchentes desde 13 de agosto. Segundo Keo Vy, vice-diretor de informação do Comitê Nacional de Gerenciamento de Desastres do Camboja, mais de 215 mil famílias foram desalojadas, enquanto estradas, pontes e diques foram destruídos.          

veja também