MENU

Adolescente que planejou o próprio funeral morre de câncer na Grã-Bretanha

Adolescente que planejou o próprio funeral morre de câncer na Grã-Bretanha

Atualizado: Quinta-feira, 21 Abril de 2011 as 9:39

Uma adolescente que planejou cada detalhe do seu funeral ao descobrir que tinha um raro câncer incurável morreu na Grã-Bretanha.

Donna Shaw, de 17 anos, morreu na casa da mãe em Alvaston, no condado de Derbyshire, na segunda-feira.

Como requisitado por ela própria, a adolescente será cremada no vestido de madrinha que usou no casamento da mãe com o padrasto.

A mãe, Nikki Parker, disse que seguirá exatamente as instruções que a filha deixou escritas em uma carta.

'Ela deixou uma carta com todos os detalhes do funeral: quem ela quer que carregue o caixão, as cores das flores, as músicas de Michael Jackson e Whitney Houston' disse.

'Você nunca espera enterrar os filhos, mas sei que ela estará sempre olhando por mim lá de cima. Obviamente, Deus a quis para algo melhor.'

Homenagem

Donna foi diagnosticada em fevereiro de 2010 com Sarcoma de Ewing, uma forma rara de tumor ósseo maligno que atinge principalmente crianças e adolescentes.

Após passar por uma cirurgia que retirou 80% do tumor principal em seu braço esquerdo, ela foi submetida a um tratamento de quimioterapia.

Em janeiro deste ano, porém, recebeu a notícia de que os remédios não estavam funcionando e que o câncer havia se espalhado.

'Ela nunca desistiu. Tentou tudo que os médicos indicaram. Fez operações, todas as transfusões de sangue, diagnósticos de imagem e tentou levar a vida o mais normal que pôde', disse a mãe.

Para ela, a determinação da filha em aceitar de cabeça o seu destino a torna uma 'inspiração' para todos ao seu redor.

'Ontem à noite (terça-feira), em Alvaston, 40 amigos dela acenderam velas para ela, o que foi muito comovente. Eu não sabia que tanta gente tinha tanto carinho pela minha filha', disse a mãe.

'Hoje de manhã, fui na página dela no Facebook e demorei mais de uma hora lendo todos os votos. Ela era tão amada e adorada. É como dizem - ela se foi, mas nunca será esquecida.'

Medo de dormir

Ao saber da falta de chances de Donna, a mãe pediu demissão de seu trabalho em um restaurante para cuidar da filha.

'Esses são os últimos desejos de uma menina de 17 anos e é o que vai acontecer quando chegar a hora', disse, à época.

Apesar da coragem na luta contra o câncer, Donna dizia que tinha medo de ir dormir.

'Não tenho medo de morrer. Tenho medo de deixar minha família', dizia.

veja também