MENU

Ahmadinejad presta juramento e assume segundo mandato como presidente do Irã

Ahmadinejad presta juramento e assume segundo mandato como presidente do Irã

Atualizado: Quarta-feira, 5 Agosto de 2009 as 12

Começou nesta quarta-feira, 5 de agosto, o segundo mandato de Mahmud Ahmadinejad no Irã. Ele prestou juramento diante dos integrantes do Parlamento em Teerã, tomou posse como presidente e segue no poder de um país sob tensão e mergulhado numa grande crise política.

"Eu, como presidente da República Islâmica do Irã, juro ante o sagrado Corão, da nação iraniana e de Deus, ser o guardião da religião oficial, da República Islâmica e da Constituição", disse Ahmadinejad na cerimônia.

Ele apelou por unidade nacional e denunciou a interferência internacional em assuntos do país. Ele focou na política externa e disse que a faria "mais forte e com planos mais efetivos". Os protestos após as eleições não foram mencionados pelo presidente, mas ele afirmou que seu governo resistirá a qualquer violação na lei e interferência. "Não ficaremos calados, não iremos tolerar o desrespeito."

Depois da posse, Ahmadinejad tem prazo de duas semanas para apresentar ao Parlamento os integrantes do novo gabinete.

Do lado de fora do Parlamento, centenas de seguidores da oposição se reuniram para protestar, informam as agências internacionais de notícias. A oposição alega que fraudes mudaram o rumo das eleições do último 12 de junho no país.

Para evitar distúrbios e confrontos, a polícia iraniana montou uma grande operação nos arredores do prédio do Parlamento, para frear a ação de oposicionistas e a formação de concentrações durante a cerimônia de posse do presidente.

A praça e as ruas adjacentes ao Parlamento Islâmico amanheceram protegidas por um forte esquema policial. As forças de segurança ordenaram o fechamento do comércios na área.

O líder supremo do Irã, aiatolá Ali Khamenei, formalizou na segunda-feira, dia 3, a reeleição de Ahmadinejad, apesar das queixas da oposição contra o resultado da votação. Desde 12 de junho, o país está mergulhado na sua pior crise das últimas três décadas.

Importantes figuras da oposição e dois ex-presidentes, Akbar Hashemi Rafsanjani e Mohammad Khatami, que apoiaram o candidato reformista Mir Hossein Moussavi, não foram à cerimônia.  

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, e líderes de França, Grã-Bretanha, Itália e Alemanha decidiram não enviar mensagens de congratulações a Ahmadinejad por sua reeleição. Mas a Casa Branca reconheceu Ahmadinejad como o "líder eleito"do Irã. Ahmadinejad reagiu acidamente à posição do Ocidente. "Ouvimos que alguns líderes ocidentais decidiram reconhecer mas não congratular o novo governo", disse ele. "Bem, ninguém no Irã está esperando por suas mensagens."

veja também