MENU

Após ataque mortal, SeaWorld quer retomar shows

Após ataque mortal, SeaWorld quer retomar shows

Atualizado: Sexta-feira, 26 Fevereiro de 2010 as 12

O SeaWorld informou que retomará neste sábado (26) seu principal show com orcas ao vivo, o "Believe", no parque da cidade americana de Orlando, na Flórida. Ontem (24), a maior orca do parque, Tilikum, atacou e arrastou para seu tanque a treinadora Dawn Brancheau, 40, que morreu na hora. A participação de Tilikum no espetáculo de sábado depende de análises dos profissionais responsáveis, informou o SeaWorld.

De acordo com a empresa, o principal show irá retornar, mas o programa "Dine With Shamu" (Jantando com a Shamu, em tradução livre), que permite que os turistas vejam performances enquanto comem, em um restaurante próximos dos tanques; e tours VIPs no estádio no qual o ataque aconteceu permanecerão suspensos.

Brancheau acariciava a orca a partir de uma plataforma quando o animal a agarrou pelo seu rabo-de-cavalo e a arrastou para dentro do tanque, de acordo com informações do chefe de treinamento animal dos parques SeaWorld, Chuck Tompkins. Conforme o relatório da polícia, os colegas de Brancheau não saltaram imediatamente na água para socorrê-la por causa da "natureza agressiva" de Tilikum, que pesa 5,5 toneladas e possui um histórico violento.

O ataque ocorreu na tarde desta quarta-feira, pouco após o "Dine with Shamu", o que fez com que vários turistas que ainda estavam no estádio presenciassem a cena. Logo depois, um alarme soou, e seguranças isolaram a área.

Brasileiro

O turista brasileiro João Lúcio de Costa Sobrinho, 28, contou ao jornal "Orlando Sentinel"que tirava fotos do interior do tanque ao lado da namorada, Talita Oliveira, 20, quando percebeu que uma das orcas levava uma pessoa na boca. "Foi terrível. Foi difícil ver a cena", disse o brasileiro. De acordo com o casal, no momento do ataque, Brancheau estava sangrando na área do rosto, e a orca a girava enquanto nadava.

Os brasileiros e outras testemunhas, segundo o "Orlando Sentinel", disseram que os animais não se comportaram normalmente no show que havia sido realizado algumas horas antes. Brad Sultan, da cidade de Tampa, também na Flórida, disse que uma das orcas não completou uma formação em triângulo com os treinadores e que, depois, uma delas não deu uma volta no tanque conforme o previsto.

Tompkins disse, contudo, que a orca fez uma boa performance no show e que Brancheau a acariciava como recompensa pelo bom trabalho. "Não havia nada que nos indicasse que havia um problema", disse Tompkins á rede de TV CBS.

Histórico

Tillikum tinha um "histórico violento" e esteve envolvida em dois incidentes anteriores, segundo o diário "Orlando Sentinel". O animal teria afogado um dos seus treinadores em 1991, quando fazia um show no Sealand of the Pacific, no Canadá. Vendido ao parque SeaWorld, Tillikum foi envolvido num outro incidente em 1999, quando autoridades acharam o corpo de um homem em seu tanque.

As autoridades disseram, à época, que o homem provavelmente se afogou depois de sofrer hipotermia na água mantida a cerca de 12ºC. Ele teria entrado no parque após o fechamento ou se escondido até que o local fechasse.

Por causa de seu tamanho e do histórico, treinadores eram orientados a não entrar na água com Tillikum e só 12 dos 29 treinadores do parque podiam trabalhar com o animal, de cerca de 30 anos. Brancheau tinha mais experiência com ele do que a maioria dos funcionários. "Nós reconhecemos que ele era diferente", disse Tompkins, acrescentando que ainda não decidiu o futuro do animal.

veja também