MENU

Após atentado, ONU vai retirar 600 funcionários do Afeganistão

Após atentado, ONU vai retirar 600 funcionários do Afeganistão

Atualizado: Quinta-feira, 5 Novembro de 2009 as 12

A Organização das Nações Unidas (ONU) irá retirar, temporariamente e por segurança, mais da metade de seus funcionários estrangeiros - os que não são considerados essenciais - do Afeganistão, disse nesta quinta-feira, dia 5, Aleem Siddique, porta-voz da instituição.

A decisão ocorre após o ataque talibã registrado na última semana de outubro (28), contra uma hospedaria utilizada pela organização no centro de Cabul. O atentado matou cinco funcionários da ONU, dois policiais e uma oitava pessoa, cujo corpo carbonizado não foi identificado, além dos três terroristas que realizaram o ataque. Cinco pessoas também ficaram feridas.

No mesmo dia, duas horas após esse ataque, foguetes foram lançados contra o hotel Serena, um dos principais da capital afegã e utilizado por diplomatas e jornalistas internacionais. Nesse caso não há registro de vítimas.

Talibã

Um porta-voz habitual dos talibãs, Zabihullah Mujahed, reivindicou o ataque. Na ocasião, afirmou que o mesmo foi a "primeira etapa" de uma campanha de desestabilização do processo eleitoral no país.

G1 conta a história: Talibã é fruto de vácuo de poder após anos de conflito no Afeganistão

A ONU mantém no país cerca de 1.100 funcionários estrangeiros. O plano da organização é retirar 600 pessoas, provavelmente a partir desta quinta. Alguns empregados podem ser transferidos para locais considerados mais seguros no Afeganistão, mas a maior parte deixará o país.

O porta-voz informou ainda que missão da ONU no Afeganistão dispõe de um total de cinco mil trabalhadores ou colaboradores, mas 80% são afegãos.

"Levamos mais de meio século no Afeganistão e os programas continuam. Mas os recentes eventos trágicos nos forçam a revisar a segurança", assegurou Siddique.

A ONU divulgou nota dizendo sque o organismo está "dando passos adicionais para reduzir os riscos de seu pessoal nacional e internacional" no país.

O secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, se reuniu na segunda-feira, dia 2, com o presidente eleito, Hamid Karzai, em Cabul, e lhe pediu que as Forças de Segurança afegãs contribuam para garantir a segurança nas instalações da organização.

veja também