MENU

Aprovação de Putin cai para nível mais baixo no ano, segundo pesquisa

Aprovação de Putin cai para nível mais baixo no ano, segundo pesquisa

Atualizado: Sexta-feira, 16 Dezembro de 2011 as 2:53

O índice de aprovação do primeiro-ministro russo, Vladimir Putin, caiu para seu nível mais baixo no ano na primeira pesquisa de opinião publicada desde que o partido da situação sofreu um revés eleitoral e ele enfrentou os maiores protestos dos seus 12 anos de governo.

Uma pesquisa realizada entre 10 e 11 de dezembro e divulgada nesta sexta-feira (16) mostrou que 51% dos russos aprovam seu trabalho, em comparação com 61% registrados na pesquisa de 28 e 29 de novembro, e 68% em janeiro, informou a empresa VTsIOM.

A pesquisa destacou o descontentamento e o cansaço da população em relação a Putin, de 59 anos, num momento em que ele se prepara para uma eleição presidencial em março, que deve vencer, mas não tão facilmente como parecia um mês atrás, e talvez não no primeiro turno.

O porta-voz de Putin, Dmitry Peskov, sugeriu que a queda é resultado "da sobrecarga emocional" entre os russos depois da eleição e disse que o índice de aprovação de Putin logo se recuperaria.

O premiê da Rússia, Vladimir Putin, em aparição na TV nesta quinta-feira (15) (Foto: AP)  

"No total, o índice de Vladimir Putin continua em um nível bem alto, embora haja flutuações", disse Peskov, segundo a agência de notícias Interfax.

"Esses dias são caracterizados por uma sobrecarga emocional relacionada ao período pós-eleitoral. Mas o estado real das coisas indica que há motivos para esperar um aumento no índice do premiê no futuro muito próximo."

Dezenas de milhares de pessoas protestaram no sábado passado para pedir a repetição da eleição legislativa de 4 de dezembro, que os oponentes dizem ter sido fraudada para beneficiar o partido governista Rússia Unida. Muitos manifestantes também dizem que estão cheios de Putin.

Analistas políticos dizem que Putin enfureceu muitos russos quando revelou um plano de trocar cargos no próximo ano com o presidente Dmitry Medvedev, o protegé que ele colocou no Kremlin quando foi impedido de buscar um terceiro mandato depois de ficar na presidência entre 2000 e 2008.

A decisão revelada em um congresso do Rússia Unida em setembro aprofundou os sentimentos de falta de direitos políticos entre os russos, que acreditam que não têm influência em um sistema político dominado por Putin e seu partido.

Os eleitores reduziram drasticamente a maioria parlamentar do Rússia Unida na eleição de 4 de dezembro, mas a oposição diz que mesmo os 49,3 por cento obtidos pela legenda foram resultado de fraude. Monitores internacionais também afirmam que a votação foi manipulada em favor do Rússia Unida.

Em um programa de perguntas e repostas transmitido pela televisão na quinta-feira, Putin disse acreditar que os resultados estavam em linha com a opinião pública e deixou claro que não se curvaria às exigências dos manifestantes para uma nova eleição.

Falando com jornalistas depois do programa de quinta-feira, Putin comentou que o plano de fazer de Medvedev o primeiro-ministro depois da eleição presidencial continuava em vigor, e descreveu o resultado do Rússia Unida como uma clara vitória.        

veja também