MENU

Ataques de Kadafi podem constituir crimes de guerra, diz AI

Ataques de Kadafi podem constituir crimes de guerra, diz AI

Atualizado: Segunda-feira, 9 Maio de 2011 as 11:53

Alguns dos ataques das forças do líder libio, Muammar Kadafi, na cidade de Misrata podem constituir crimes de guerra e contra a humanidade, disse nesta segunda-feira à agência EFE Donatella Rovera, representante da Anistia Internacional (AI) em Benghazi.

Rovera realizou uma investigação de uma semana no final de abril em Misrata, e, segundo ela, reuniu provas de que alguns dos ataques das tropas governamentais contra a população civil da terceira maior cidade da Líbia podem ser considerados crimes de guerra.

"As tropas de Kadafi estão usando armas de forma indiscriminada, como os mísseis russos Grad (de longo alcance) e projéteis de artilharia e morteiros, que têm uma grande margem de erro", relatou.

Estas armas só podem ser usadas em campo de batalha, não sobre regiões densamente povoadas, acrescentou Rovera, que também destacou que estão sendo utilizadas bombas de fragmentação, que são ilegais e letais para a população civil.

As forças governamentais vêm atacando e bloqueando a cidade de Misrata há dois meses, bombardeando de forma sistemática e arbitrária regiões habitadas com artilharia pesada e mísseis de longo alcance, segundo várias organizações internacionais, a Otan e testemunhas.

Rovera denunciou ainda a tentativa das forças de Kadafi de isolar os cerca de 400 mil habitantes de Misrata, que só é acessível pelo mar, impedindo ou limitando a entrega de ajuda humanitária e a evacuação dos feridos, que não podem receber tratamento no local.

"Nas últimas duas semanas e de forma cada vez mais intensa, os ataques estão dirigidos especialmente ao porto de Misrata, além de continuarem os bombardeios indiscriminados que estão matando e ferindo civis", afirmou a representante da AI. O porto está sendo o principal alvo dos ataques das tropas do regime, já que representa a única via de acesso à cidade e é de vital importância para a sobrevivência tanto dos milicianos rebeldes como dos civis.

Há duas semanas, as tropas de Kadafi se retiraram da região habitada e agora estão posicionadas nos arredores de Misrata, de onde bombardeiam a cidade de forma intermitente, utilizando armas de longo alcance pouco precisas.

"O fato das forças de Kadafi não estarem mais no centro (de Misrata) é positivo por um lado, mas por outro lado estão atacando com mais força e indiscriminadamente porque seus homens não estão mais na cidade", afirmou Rovera.        

veja também