MENU

Atentado frustrado contra metrô de Nova York foi planejado pela Al-Qaeda, diz procuradoria dos EUA

Atentado frustrado contra metrô de Nova York foi planejado pela Al-Qaeda, diz procuradoria dos EUA

Atualizado: Quarta-feira, 7 Julho de 2010 as 4:39

A elaboração de um atentado para detonar bombas no metrô de Nova York no ano passado foi parte de uma grande conspiração da Al-Qaeda do paquistão, afirmou a procuradoria-geral de Justiça dos Estados Unidos nesta quarta-feira (7).

Os procuradores apresentaram a acusação formal hoje contra diversos integrantes do grupo terrorista, inclusive contra Adnan Shukrijumah, um dos nomes mais procurados pelo FBI. Segundo as autoridades, os acusados fazem parte de uma conspiração maior da Al Qaeda, que inclui também ataques ao Reino Unido.

Shukrijumah, um dos líderes da Al-Qaeda responsável por planejar ataques em todo o mundo, foi envolvido diretamente no recrutamento e no planejamento do ataque falho de New York, disseram os promotores. O procurador-geral Eric Holder apontou o caso como um dos mais sérios desde os atentados de 11 de setembro de 2001.

Dois dos acusados, Naseer Abid e Ur Rehman Tariq, poderiam também estar ligados a outra tentativa de ataque na Inglaterra.

O plano de ataque ao metrô de NY foi descoberto no começo de setembro de 2009, quando policiais pararam o carro de Najibullah Zazi na entrada da cidade. Ele admitiu culpa no plano fracassado. Zarein Ahmedzay também admitiu ter conspirado para usar armas de destruição em massa e providenciar material de apoio à Al Qaeda, e enfrenta julgamento.

Um terceiro homem, Adis Medunjanin, aguarda julgamento. Hoje os procuradores adicionaram novas acusações de terrorismo contra o acusado.

Os Estados Unidos oferecem uma recompensa de US$ 5 milhões por informações que levem à captura de Adnan Shukrijumah, que continua foragido.

Outro ataque frustrado

No dia 1º de maio um artefato foi encontrado dentro de um carro na Times Square.  O artefato era feito com fertilizantes, fogos de artifícios, gasolina e gás propano, e foi descrito como "amador", mas segundo as autoridades, tinha o potencial de causar uma grande bola de fogo e um incidente "mortal". Alertada por um vendedor de rua, a polícia evacuou a região da Times Square na noite de sábado e desativou o carro-bomba.

O paquistanês e cidadão americano Faisal Shahzad foi detido no aeroporto John F. Kennedy, em Nova York, dois dias depois do ataque frustrado. Aparentemente tentando fugir do país, com destino a Dubai, nos Emirados Árabes, Faisal tinha retornado aos EUA recentemente, após uma viagem de cinco meses ao Paquistão.

Em 21 de junho, ele se declarou culpado perante a corte norte-americana de todas as dez acusações que recebeu.

veja também