MENU

Atentados e confrontos matam sete pessoas em dia de eleições nas Filipinas

Atentados e confrontos matam sete pessoas em dia de eleições nas Filipinas

Atualizado: Segunda-feira, 10 Maio de 2010 as 8:35

Ao menos sete pessoas morreram e outras 14 ficaram feridas nas últimas 24 horas em vários atos de violência relacionados com as eleições presidenciais e locais realizadas nesta segunda-feira (10) nas Filipinas. Cerca de 50 milhões de eleitores devem comparecer às urnas.

Na Província de Maguindanao, na ilha de Mindanao, no sul do país, ao menos duas pessoas morreram e outras quatro ficaram feridas em um tiroteio entre partidários de dois candidatos a vereador.

O major Randolph Cabangang, porta-voz do comando das Forças Armadas ao leste de Mindanao, explicou que o confronto aconteceu às 11h50 no horário local (0h50 de Brasília) e obrigou a suspensão da votação no local.

Em outro colégio eleitoral, no norte das Filipinas, a explosão de uma bomba artesanal causou ferimentos leves em quatro pessoas que se dirigiam para votar. Outros dois artefatos explodiram sem causar vítimas perto de escolas, uma delas utilizada como centro de votação, no povoado de Marawi, no sul do país, informaram fontes militares.

Antes do início da jornada eleitoral, três aliados de um candidato a prefeito morreram e outros dez foram feridos em um tiroteio na Província de Zamboanga Sibugay, em Mindanao, segundo a polícia.

Também de madrugada, na mesma região, o correligionário de um candidato a vice-governador da Província de Cotabato do Norte foi assassinado a tiros enquanto retornava para casa em uma motocicleta. Seu carona ficou gravemente ferido.

Pouco depois, outra pessoa morreu e várias ficaram feridas durante um confronto entre os simpatizantes de dois aspirantes a prefeito na ilha de Palawan, no oeste das Filipinas.

Usadas pela primeira vez, urnas eletrônicas falham

Os problemas técnicos nas máquinas de voto eletrônico protagonizaram nesta segunda-feira as primeiras horas da jornada eleitoral nas Filipinas, onde se aplica pela primeira vez o sistema automatizado para tentar prevenir as fraudes eleitorais.

Embora a maioria dos colégios eleitorais tenha aberto suas portas na hora prevista, em alguns centros de votação houve erros na hora de introduzir as cédulas nas máquinas, que enviam os resultados a um computador central.

Os atrasos obrigaram os eleitores a esperar em longas filas e sob um intenso calor, de acordo com a imprensa local. Outros eleitores se queixaram de que seus nomes não estavam no censo ou se encontravam em outra lista, uma estratégia habitual de partidos ou políticos desonestos para dificultar o voto nas Filipinas.

veja também