MENU

Atirador deixou manifesto de 1,5 mil páginas

Atirador deixou manifesto de 1,5 mil páginas

Atualizado: Domingo, 24 Julho de 2011 as 8:55

A polícia da Noruega confirmou neste domingo (24) que um manifesto de 1.500 páginas com conteúdo anti-islâmico foi publicado por Anders Behring Breivik na sexta, horas antes do duplo ataque que matou 92 pessoas em Oslo.

O livro online descreve o plano, a fabricação de explosivos e a violenta filosofia por trás do ataque a bomba no centro de Oslo e o tiroteio no acampamento de jovens do Partido Trabalhista na ilha de Utoeya.

“Este manifesto foi publicado no dia dos eventos. Temos a confirmação disso”, disse o chefe da polícia, Sveinung Sponheim, em entrevista neste domingo (24).

O documento afirma que o ataque já era preparado desde o outono (no hemisfério norte) de 2009.

Publicado na Internet diariamente, o texto inclui um manual sobre como montar bombas e um discurso contra o Islã e o marxismo.

Com o nome de "Andrew Berwick" na capa como autor, o documento detalha os preparativos da ação, destacando "o uso do terrorismo como um meio de despertar as massas", e admite que será lembrado como "o maior monstro nazista desde a II Guerra Mundial". Também inclui fotos do norueguês vestido com diferentes trajes e segurando uma arma.   Com várias referências históricas, o manifesto inclui numerosos detalhes da personalidade do agressor, seu modus operandi para fabricar bombas e seu treinamento de tiro, além de um minucioso diário dos três meses que precederam o ataque.

O texto, escrito em inglês, tem o título "A European Delaration of Independence - 2083" (Uma declaração de Independência Europeia - 2083) e é firmado sob o pseudônimo "Andrew Berwick".

Pai 'chocado'

Um jornal norueguês disse ter entrevistado o pai do homem acusado pelos ataques, que disse estar em choque e que só soube do envolvimento do seu filho por meio de sites de notícias.

“Eu estava lendo sites de notícia e, de repente, vi o nome dele e uma foto na internet”, disse o homem ao jornal “Verdens Gang”. Segundo o diário, o pai de Anders Behring Breivik foi entrevistado em “algum lugar da França”, onde vive aposentado.

“Eu fiquei chocado ao saber aquilo. Ainda não me recuperei”, disse o homem, que afirmou não ter contato com o filho desde 1995.    

veja também