MENU

Autoridade Palestina condena discurso de premiê israelense

Autoridade Palestina condena discurso de premiê israelense

Atualizado: Segunda-feira, 15 Junho de 2009 as 12

A ANP (Autoridade Nacional Palestina) condenou o discurso que o primeiro-ministro israelense, Binyamin Netanyahu, fez neste domingo, dia 14 de junho, e rejeitou todas as condições que ele colocou para solucionar o conflito do Oriente Médio.

"Não estamos surpresos com o que ele disse, mas ao mesmo tempo condenamos todas suas declarações", disse o negociador-chefe da ANP, Saeb Erekat.

Segundo ele, Netanyahu não reconheceu o problema dos refugiados, nem a solução de dois Estados para dois povos, e "se limitou a pôr condições impossíveis aos palestinos".

"Todas essas condições prévias são inaceitáveis para nós", assegurou Erekat, para quem o primeiro-ministro israelense "não tratou com profundidade nenhuma das questões do estatuto final" que é preciso ser negociado.

Erekat respondeu a Netanyahu minutos depois de o premiê terminar um discurso em que condicionou qualquer solução ao conflito ao "reconhecimento de Israel como lar nacional judeu" e à "desmilitarização" do futuro Estado palestino.

Já Rafik al Husseini, chefe de gabinete do presidente da ANP, Mahmoud Abbas, assegurou que "com o discurso, Netanyahu declarou guerra aos palestinos e ao mundo inteiro".

"O que fez é negar todos os princípios que a comunidade internacional considera básicos para conseguir uma solução pacífica entre israelenses e palestinos", comentou.

Hamas

O movimento radical islâmico Hamas, que controla a faixa de Gaza, denunciou o caráter "racista e extremista" do discurso feito pelo primeiro-ministro israelense.

"O discurso reflete a ideologia racista e extremista de Netanyahu e ignora todos os direitos do povo palestino", disse à agência de notícias France Presse o porta-voz do Hamas, Fawzi Barhum.

Postado por: Felipe Pinheiro

veja também