MENU

Autoridade Palestina marca eleições locais para 9 de julho

Autoridade Palestina marca eleições locais para 9 de julho

Atualizado: Terça-feira, 8 Fevereiro de 2011 as 1:29

O governo palestino estabeleceu nesta terça-feira (8) a data de 9 de julho para realizar as eleições locais, no momento em que revoltas abalam o Egito, exigindo reformas políticas. A votação havia sido postergadas indefinidamente na Cisjordânia.

A eleição estava programada para julho do ano passado, mas um desacordo dentro do Fatah, facção do presidente palestino, Mahmoud Abbas, sobre quem seria o candidato provocou o adiamento um mês antes do dia das eleições.

Em dezembro, um tribunal determinou que a Autoridade Palestina, que exerce o governo na Cisjordânia, território ocupado por Israel, tem que permitir que as eleições sejam realizadas.     A decisão para estabelecer uma data para as eleições foi amplamente vista no território como sendo consequência dos protestos no Egito, que buscam encerrar o governo de 30 anos do presidente Hosni Mubarak.     No sábado, forças de segurança palestinas dispersaram centenas de manifestantes na Cisjordânia que gritavam palavras de ordem contra Abbas.

O porta-voz do governo palestino, Ghassan al-Khatib, disse que o gabinete também determinou que as eleições deveriam ser realizadas na Faixa de Gaza, governada pelo movimento islamista Hamas. Mas o grupo já disse que não permitirá a realização da votação no território.

O cancelamento no ano passado indicou problemas enfrentados pelo Fatah, que tem apoio do Ocidente e já dominou a política palestina. O partido tem enfrentado dificuldades para manter sua posição desde a morte de Yasser Arafat, o primeiro presidente palestino, em 2004.

O Hamas, que se opõe à estratégia de paz com Israel defendida por Abbas, derrotou o Fatah nas eleições parlamentares de 2006 e um governo de coalizão foi formado, mas essa união ruiu devido a uma disputa de poderes. O Hamas assumiu o controle da Faixa de Gaza em 2007.

Abbas havia estabelecido que as eleições presidenciais e legislativas seriam realizadas em janeiro de 2010, mas adiou a votação depois que o Hamas excluiu sua participação na Faixa de Gaza. O Hamas contesta a legitimidade de Abbas e seu direito de convocar eleições.    

veja também