MENU

Autoridades européias tentam mediar cessar-fogo em Gaza

Autoridades européias tentam mediar cessar-fogo em Gaza

Atualizado: Segunda-feira, 5 Janeiro de 2009 as 12

Os presidentes da França, Nicolas Sarkozy, e do Egito, Hosni Mubarak, devem se reunir hoje, dia 5 de janeiro, no Cairo. O encontro é parte de uma das duas iniciativas européias de mediar um cessar-fogo na Faixa de Gaza, onde uma operação militar israelense entra no décimo dia. Depois da reunião no Cairo, Sarkozy tem ainda encontros em Jerusalém, Ramallah, na Cisjordânia, e Damasco, capital síria.

De acordo com a BBC Brasil, há a notícia de que cerca de 40 tanques israelenses estão se dirigindo à cidade de Khan Younis, no sul de Gaza. Segundo palestinos, dois adultos e cinco crianças foram mortos, somando-se às mais de 500 mortes até agora.

Durante a madrugada, 20 membros de duas famílias palestinas, entre eles 13 crianças, teriam morrido em novos ataques do exército de Israel, segundo a agência Telam, de acordo com fontes de hospitais.

Em Tel Aviv, um porta-voz israelense disse que o ocorrido está sendo investigado e insistiu que o exército de Israel dirige os ataques somente contra alvos da organização radical islâmica Hamas. De acordo com dados do Ministério da Saúde palestino em Gaza, desde o início da ofensiva terrestre, 50 palestinos morreram e 200 ficaram feridos.

Nos dez dias de ataques israelenses, pelo menos 520 palestinos teriam morrido e outros 2,5 mil ficaram feridos. Segundo representantes do Hamas, dez de seus combatentes foram mortos na ofensiva por terra. Já os militares israelenses afirmam que um dos soldados morreu e 34 ficaram feridos.

Mesmo com a ofensiva terrestre, militantes palestinos continuam lançando foguetes contra o território israelense. Nas últimas horas, pelo menos 40 mísseis foram lançados contra sul de Israel. Duas pessoas ficaram levemente feridas na região de Eshkol e outra na cidade de Sderot.

Uma delegação da União Européia, liderada pelo ministro do Exterior da República Tcheca,  Karel Schwartzenberg, também se reuniu com lideranças do Egito, no Cairo. Depois de conversar com o ministro do Exterior do Egito, Ahmed Abul Gheit, Schwartzenberg o grupo pediu a suspensão do bombardeio de Israel à Faixa de Gaza e que os militantes palestinos parem de lançar foguetes em território israelense.

Gheit afirmou que é necessária uma resolução do Conselho de Segurança das Nações Unidas urgentemente. Existe a possibilidade de que o Hamas envie uma delegação ao Egito, a convite do presidente Mubarak. Ele mediou o cessar-fogo entre o Hamas e Israel que expirou no mês passado.

A Comissária para Relações Exteriores da UE, Benita Ferrero-Waldner, disse que é essencial permitir a chegada de alimentos e suprimentos médicos na Faixa de Gaza para garantir que hospitais estejam em condições de funcionar. Israel disse que vai permitir a entrada de mais ajuda humanitária em Gaza, entregue por 80 caminhões carregados de comida e remédios.

Em nota divulgada no final de semana, o governo brasileiro se posicionou contrário à ofensiva terrestre israelense e pediu um cessar-fogo imediato, em apoio aos esforços internacionais, a fim de garantir a retomada da negociação da paz na região. O assunto deverá ser um dos temas discutidos pelo ministro das Relações Exteriores, Celso Amorim, com autoridades portuguesas, em Lisboa.

veja também