MENU

Benigno Aquino assume como o 15º presidente das Filipinas

Benigno Aquino assume como o 15º presidente das Filipinas

Atualizado: Quarta-feira, 30 Junho de 2010 as 9:26

Vencedor das eleições de 10 de maio com com 15,2 milhões de votos, Benigno Aquino, filho da ex-chefe de Estado Corazón Aquino, foi proclamado nesta quarta-feira como o 15º presidente das Filipinas pelo Parlamento.

Legisladores de ambas as câmaras corroboraram a vitória de Aquino, de 50 anos, o primeiro presidente solteiro em um país em que a primeira-dama desempenha um papel importante.

O novo presidente é filho de duas personalidades que encarnam a luta pela democracia na década de 1980: Corazón Aquino, falecida em agosto de 2009 -- que chegou ao poder em 1986 depois de uma rebelião popular contra o ditador Ferdinand Marcos -- e seu marido Benigno ''Ninoy'' Aquino, dirigente opositor que foi assassinado em 1983 ao voltar do exílio.

Em seu juramento, Aquino prometeu que tirará os filipinos da pobreza em um país onde um em cada três habitantes vive com menos de um dólar por dia.

O novo chefe de Estado, que sucede Gloria Arroyo, prometeu lutar contra a corrupção, um dos grandes temas de sua campanha eleitoral.

Gabinete

O novo líder apresentou seu novo gabinete definindo-o como ''uma mistura de velhas e novas caras'' que o ajudarão a cumprir suas promessas de mudança para o país.

Aquino indicou que sua primeira ação será diagnosticar o país. ''Estas são as pessoas que se comprometeram com a filosofia de que os problemas neste país podem ser resolvidos, que têm a energia e o compromisso para sacrificarem-se e fazerem o necessário para realizar as mudanças que o povo necessita'', indicou o filho da antiga presidente Corazón Aquino.

A equipe formada pelo novo líder inclui vários membros do governo de Arroyo que renunciaram em 2005 após um escândalo que vinculava à presidente com uma fraude eleitoral, e a Alberto Romulo, que continuará à frente da pasta de Assuntos Exteriores.

Os novos ministros de Finanças, Cesar Purisima, e Orçamentos, Florencio Abad, são dois membros do ex-governo.

Para o ministério do Planejamento Socioeconômico foi designado o economista e catedrático Cayetano Paderanga. Leila de Lima foi nomeada secretária de Justiça, com a missão de recuperar a independência do Poder Judiciário.

Entre os rostos novos figuram o empresário Alberto Lim, que será o responsável pelo Turismo, o executivo Gregory Domingo, que dirigirá os assuntos de Indústria e Comércio, e José Rene Almendraz, presidente de uma companhia de tratamento de águas e escolhido para o cargo de ministro da Indústria.

Aquino escolheu o general aposentado Voltare Garmin para dirigir o Ministério da Defesa, e deixa temporariamente vazia a pasta do Interior, que ele mesmo administrará interinamente.

veja também