MENU

Berlusconi gastou 34 milhões de euros em presentes caros, diz jornal

Berlusconi gastou 34 milhões de euros em presentes caros, diz jornal

Atualizado: Quarta-feira, 9 Março de 2011 as 3:32

O premiê da Itália, Silvio Berlusconi, gastou em 2010 cerca de 34 milhões de euros (R$ 77,8 milhões) em joias, antiguidades e principalmente presentes para suas meninas, as chamadas "papi girls", disse nesta quarta-feira (9) o "Corriere della Sera".

O político magnata de 74 anos desembolsou 120 mil euros para comprar gravatas, cachecois e outros acessórios da renomada grife napolitana Marinella.

Também comprou 65 mil euros em joias, segundo o resumo de gastos divulgado dentro da investigação judicial aberta contra ele por sua suposta relação com uma prostituta menor de idade, o que na Itália constitui delito.

O magnata das comunicações alugou por 675 mil euros um castelo perto de Portofino e pagou 900 mil euros para gastos de luz de sua mansão na ilha caribenha de Antigua.   Outros 650 mil euros foram pagos a antiquários e galerias de arte.

A investigação denominada "Ruby Rouba-corações", como é conhecida a jovem marroquina Karina El Mahrough, com quem o primeiro-ministro teria se relacionado, mostra que Berlusconi costumava presentear as moças de sua preferência com inúmeros objetos de grande valor.

Segundo o jornal, Berlusconi gastou 562 mil euros com 14 "papi girls", a maioria prostitutas de luxo e atrizes de TV que convidava para suas festas privadas em sua residência de Milão, Villa Arcore.

Uma delas, Angela Sozio, imortalizada em várias fotos espalhadas por sua casa de veraneio da Sardenha, recebeu em uma única ocasião 100 mil euros.

Berlusconi, que se define como um homem muito generoso, gastou 40 mil euros com um presente de casamento para uma de uma de suas secretárias.

O advogado de Berlusconi, o deputado Niccolo Ghedini, condenou duramente a publicação desses dados e a definiu como violação da vida privada.

Ele também negou ter recebido 441 mil euros a título de honorários para defender um dos homens mais ricos da Europa.

Na véspera, centenas de mulheres se manifestaram por ocasião do Dia Internacional da Mulher, em Roma, Florença e Milão para reclamar mais dignidade, tendo como pano de fundo o escândalo sexual envolvendo Berlusconi.

As manifestações foram convocadas pelo movimento espontâneo "Se não for agora, quando será?", que reuniu, em 13 de fevereiro, meio milhão de mulheres e mais de 200 cidades para protestar contra a visão machista e patriarcal que o chefe de Governo tem das mulheres de um modo geral.    

veja também