MENU

Berlusconi perde em Milão o que definira como plebiscito para seu Governo

Berlusconi perde em Milão o que definira como plebiscito para seu Governo

Atualizado: Terça-feira, 17 Maio de 2011 as 10:13

O primeiro-ministro da Itália, Silvio Berlusconi, perdeu em Milão o que definira como um plebiscito para seu Governo, depois de o candidato da centro-esquerda ter vencido o primeiro turno das eleições municipais.

Com 100% dos votos apurados, Letizia Moratti, do Povo da Liberdade (PDL), o partido de Berlusconi, obteve 41,58% dos sufrágios, contra 48,04% de Giuliano Pisapia, procedente do partido Refundação Comunista e candidato agora pelo opositor Partido Democrata (PD).

Com o resultado, haverá um segundo turno para definir se Letizia e, consequentemente, Berlusconi, perderão a prefeitura de Milão após 20 anos.

Berlusconi tinha as eleições em Milão como uma luta pessoal e um teste para saber o apoio que tem seu Governo na capital econômica da Itália.

A imprensa italiana fala nesta terça-feira de derrota do primeiro-ministro, que ainda não concedeu declarações sobre os resultados.

O líder do PD, Pier Luigi Bersani, por sua vez, afirmou que "o vento do norte (em referência à localização geográfica de Milão) arrasta o PDL e a Liga Norte (aliado do premiê)" e acrescentou que "o desafio lançado por Berlusconi se transformou em um 'bumerangue'".

Em Nápoles, o candidato da centro-direita, Gianni Lettieri, obteve 38,55% dos votos, contra 27,44% do candidato do opositor partido Itália dos Valores (IDV), Luigi de Magistris. Na capital da região da Campânia, onde também haverá segundo turno, o PD sofreu um baque, com apenas 19,21% dos votos.

Após 15 anos à frente da prefeitura, o partido sofreu desgaste pelos numerosos escândalos de corrupção internos e por sua má gestão nas crises do lixo na cidade.

Em Bolonha, o candidato da centro-esquerda Virginio Merola obteve 50,46% dos votos, contra 30,35% do candidato do PDL, Manes Bernardini, o que evita um segundo turno.

Em Turim, outra das grandes praças industriais do país e sede da Fiat, se impôs o candidato de centro-esquerda e ex-ministro da Justiça Piero Fassino (55,66%), que venceu a centro-direita de Michele Coppola (27,30%).

Nestas eleições, realizadas no domingo e na segunda-feira para renovar 1.315 prefeituras, será necessário um segundo turno também em Trieste e Cagliari, onde a centro-esquerda se impôs com 40,67% e 45,06% dos votos, respectivamente.      

veja também