MENU

BP derramou 4,9 milhões de barris, diz nova estimativa dos EUA

BP derramou 4,9 milhões de barris, diz nova estimativa dos EUA

Atualizado: Terça-feira, 3 Agosto de 2010 as 8:42

O governo americano informou nesta segunda-feira (2) que o poço danificado da britânica BP derramou no mar 4,9 milhões de barris, segundo nova estimativa, dos quais apenas 800.000 foram recuperados, o que torna o caso o maior vazamento acidental da história.

"No total, as equipes científicas estimam que aproximadamente 4,9 milhões de barris de petróleo vazaram do poço", informou o comando conjunto de resposta, que inclui a BP e o governo dos Estados Unidos, segundo indica um comunicado.

"Nem todo esse petróleo e gás caiu no mar, as atividades de contenção da BP, sob supervisão do governo dos Estados Unidos, capturaram aproximadamente 800.000 barris de petróleo antes do fechamento do poço".

Em litros de petróleo, trata-se de um derramamento de 780 milhões e uma captura de 127 milhões. Como comparação, o vazamento da Exxon Valdez no Alasca em 1989 foi de 41 milhões de litros.

Nova operação

A estimativa do governo de Barack Obama coincidiu com o anúncio da BP de uma nova operação que buscará selar definitivamente, a partir desta terça-feira (3), o poço de petróleo danificado.

"Hoje [segunda-feira] vamos realizar os testes de injeção, vamos avaliar os resultados e realizar os ajustes necessários", disse o vice-presidente do grupo britânico, Kent Wells.

A operação de selagem "tomará talvez todo o dia de amanhã (terça-feira). Poderá inclusive prolongar-se até quarta-feira", advertiu.

O procedimento consiste-se em injetar barro e cimento para selar o poço a partir do qual vazaram milhões de litros de petróleo nas águas do Golfo do México, depois de uma explosão que matou 11 operários da BP na plataforma Deepwater Horizon, antes de afundar em 22 de abril em frente à costa de Louisiana.

O almirante Thad Allen, designado pelo governo federal para supervisionar as tarefas de limpeza e contenção da mancha de óleo a cargo da BP, disse que a operação em questão poderá começar a ser implementada na última hora desta segunda-feira.

"Uma decisão sobre se colocamos ou não cimento depois do lodo dependerá da avaliação sobre a integridade da carcaça do poço", disse Allen.

Mesmo assim, a BP prevê continuar com o plano de construção do poço auxiliar para interceptar eventuais infiltrações.

A BP disse que o mesmo interceptará o poço danificado a determinada profundidade abaixo do leito marinho em uns dez dias, o que permitirá um segundo processo de selagem no fim de agosto.

veja também