MENU

Brasil terá postura flexível na Conferência do Clima em Cancún

Brasil terá postura flexível na Conferência do Clima em Cancún

Atualizado: Terça-feira, 30 Novembro de 2010 as 10:13

O Brasil está aberto a novas propostas para resolver os impasses nas negociações climáticas internacionais, apontou o negociador-chefe do país na Conferência da ONU sobre Mudanças Climáticas (COP 16) ao final do primeiro dia do evento.

“Acho que estamos aqui prontos para sermos flexíveis e examinar diferentes possibilidades” , disse o embaixador Luiz Alberto Figueiredo Machado. “Sabemos que se todos os países se agarrarem a suas posições, é impossível ter um resultado, que dirá um bom resultado”, comentou a respeito do chamado feito pela secretaria–executiva da Convenção Quadro das Nações Unidas sobre as Mudanças Climáticas (UNFCCC), Christiana Figueres, para tentar unir visões diferentes de formas “criativas”.

O dia inaugural da nova conferência climática, realizada em Cancun, no México, tratou mais de questões organizacionais que das negociações em si, informou Figueiredo.

Entre os impasses atuais estão a forma como será gerido o fundo climático a que os países ricos deverão contribuir com US$ 100 bilhões anuais até 2020 ou o que substituirá o Protocolo de Kyoto, o único acordo vinculante (de cumprimento obrigatório pelos signatários) adotado até agora nesse campo, quando ele expirar, em 2012.

Figueiredo disse que em Cancún é necessário haver uma definição clara sobre se o Protocolo de Kyoto será prorrogado ou não, já que, do contrário, as negociações paralelas sobre um novo acordo mais amplo ficam comprometidas.    

veja também