MENU

Bush diz que cúpula do G20 pode lançar bases para reformas da economia mundial

Bush diz que cúpula do G20 pode lançar bases para reformas da economia mundial

Atualizado: Segunda-feira, 17 Novembro de 2008 as 12

Apesar da baixa expectativa geral quanto ao primeiro encontro de chefes de Estado do G20 financeiro - que reúne 19 grandes economias desenvolvidas e emergentes mais a União Européia -, o anfitrião do encontro espera que seja possível, ao menos, estabelecer as bases para reformas que ajudarão a prevenir futuramente crises como a atual.

"Diferentes países naturalmente trarão diferentes perspectivas, mas há alguns pontos nos quais podemos concordar-, disse o presidente norte-americano, George W. Bush, ontem, 13 de novembro, em Nova York.

A simples convocação do inédito encontro por Bush já é considerado, pelos emergentes, um avanço e um reconhecimento de que o G8, sozinho, já não é capaz de definir os rumos da economia mundial. Hoje, Bush reconheceu, inclusive, que novas cúpulas ampliadas serão necessárias.

"As questões são complexas, o problema é importante demais para tentarmos resolver ou chegarmos a recomendações sensatas em apenas um encontro. Assim, a cúpula será a primeira de uma série de cúpulas-, destacou Bush.

Segundo ele, nas duas sessões de debates marcadas para o próximo sábado, 15, os chefes de Estado focarão cinco questões-chave. A causa da crise global é a primeira delas. Assim como os ministros de economia e os presidentes de bancos centrais do G20 financeiro, reunidos no final de semana passado em São Paulo, os líderes farão uma análise da efetividade das ações adotadas em resposta à crise até agora. Também tentarão desenvolver os princípios para a reforma dos sistemas financeiro e regulatório e lançarão um plano de ação para implementação de tais princípios. Por fim, reafirmarão sua convicção nos princípios do livre-mercado.

Postado por: Claudia Moraes

veja também