MENU

Caixas-pretas do voo 447 são localizadas, mas recuperação não é garantida

Caixas-pretas do voo 447 são localizadas, mas recuperação não é garantida

Atualizado: Quinta-feira, 6 Maio de 2010 as 8

O Ministério da Defesa da França anunciou nesta quinta-feira (6) que equipes localizaram a área onde estão as caixas-pretas do Airbus A330 da Air France que fazia o voo Rio-Paris e caiu em 1º de junho de 2009 no oceano Atlântico, matando os 228 ocupantes. O governo explicou, no entanto, que isso não significa que os equipamentos possam ser recuperados.

O general Christian Baptiste, porta-voz adjunto do ministério da Defesa, disse que os especialistas da Marinha francesa puderam determinar uma área de buscas de cerca de cinco quilômetros quilômetros quadrados.

''Isto não significa que vamos encontrar as caixas-pretas, porque elas já não emitem sinal e porque a zona em que se encontram é muito acidentada''.

Uma fonte do Escritório de Investigações e Análises (BEA), responsável pelas investigações técnicas da tragédia do voo AF447,  afirmou que a informação precisa ser ''verificada e validada pelas equipes que estão na zona de busca''.

''Ao que parece, o Ministério da Defesa trabalhou com imagens obtidas durante a primeira etapa das buscas, quando os registros de voo ainda emitiam um sinal''.

De acordo com o BEA, esses registros devem ter sido obtidos entre o início de junho e meados de julho de 2009. As caixas-pretas, que contêm as informações técnicas e as últimas conversas da tripulação, emitem sinais durante até 42 dias.

Até o momento, o escritório considera que o mau funcionamento das sondas Pitot (sensores de velocidade) do avião foi um dos fatores que causaram o acidente, mas o órgão diz que as caixas-pretas são essenciais para determinar o que levou à tragédia.

Em seu site oficial, o BEA informou que a tentativa de recuperação das caixas-pretas será feita ''o mais rápido possível'' e que a Airbus e a Air France irão financiar essa nova fase dos trabalhos, cedendo R$ 3,4 millhões (1,5 milhão de euros) cada. A expectativa é que as gravações estejam localizadas em uma das três posições recentemente cogitadas (veja imagem abaixo): a noroeste da última posição conhecida do avião (1); em uma zona já pesquisada, mas de terreno muito acidentado (2); ou em uma área retangular, definida por um esforço científico (3).

A conclusão desta nova fase das buscas está estimada para o dia 25 de maio, a seis dias do aniversário de um ano do acidente, o maior da Air France em 75 anos de operação. Em 2009, as primeiras buscas por destroços e pelas caixas-pretas duraram três meses, mas sem sucesso.

veja também