MENU

Câmara dos EUA aprova lei que dá sinal verde para os militares gays

Câmara dos EUA aprova lei que dá sinal verde para os militares gays

Atualizado: Sexta-feira, 28 Maio de 2010 as 8:43

O Congresso dos EUA deu dois grandes passos na noite de quinta-feira (27) na questão dos gays nas Forças Armadas do país, ao aprovar uma proposta que derruba a lei que só permite aos homossexuais servirem se eles não abrirem sua orientação sexual.

A Câmara dos Representantes aprovou a legislação que acaba com o 'don't ask, don't tell' (não pergunte, não fale), por 234 votos a 194. Os republicanos votaram majoritariamente contra.

A votação ocorreu horas depois da Comissão de Serviços Armados do Senado ter aprovado a mesma medida por 16 a 12, em favor de derrubar a lei de 1993.

Agora, a legislação precisa passar no plenário do Senado, onde espera-se que os republicanos a consigam barrar. Mas a votação só deve ocorrer em junho.

A proposta de mudança na legislação é encorajada pelo presidente Barack Obama e pela presidente do Congresso, Nancy Pelosi.

Fruto de um acordo firmado em 1993 entre o ex-presidente Bill Clinton, o Congresso e o exército, a chamada lei do ''don't ask, don't tell'' obriga aos militares homossexuais não revelar sua condição sexual sob pena de expulsão.

Obama já havia solicitado a revogação da lei, que na prática proíbe a participação no exército de pessoas que declararem publicamente sua homossexualidade.

No início de maio, o secretário de Defesa americano Robert Gates e o comandante das forças conjuntas, almirante Michael Mullen, pediram ao Congresso que não levantasse nem flexibilizasse a proibição.

Gates e Mullen afirmaram em carta enviada à comissão de serviços armados da câmara que, por enquanto, se ''opõem firmemente'' a qualquer mudança na interdição, citando ''preocupações'' das tropas a respeito.

''Espero que o Congresso não o faça, uma vez que estaria enviando mensagem muito prejudicial a nossos homens e mulheres que vestem o uniforme'', dizia o documento.

veja também