MENU

Candidato apoiado pelo Hezbollah é designado novo premiê do Líbano

Candidato apoiado pelo Hezbollah é designado novo premiê do Líbano

Atualizado: Terça-feira, 25 Janeiro de 2011 as 2:29

O presidente do Líbano, Michel Suleiman, designou nesta terça-feira (25) o magnata das telecomunicações Najib Mikati, que é apoiado pelo Hebbollah, como novo primeiro-ministro do país.

Segundo fontes, o sunita Mikati teve apoio de 68 dos 128 membros do parlamento libanês.

Logo após o comunicado da presidência, Mikati disse que vai começar a governar em dois dias e pediu às facções políticas libanesas que superem suas diferenças.

"A nomeação não é uma vitória de um bloco contra o outro", declarou Mikati à imprensa ao sair de uma entrevista com o presidente da República.

"É a vitória da reconciliação em detrimento das divergências", acrescentou o novo primeiro-ministro.

"Nada justifica que uma parte política se negue a participar no futuro governo", afirmou Mikati.

"Estendo a mão a todas as partes", acrescentou.

Incerteza

Mikati é indicado em um cenário de incerteza política no país, Centenas de seguidores do primeiro-ministro interino do Líbano, Saad al Hariri, faziam nesta  protesto contra sua provável nomeação.

Os partidários de Hariri convocaram um "dia de fúria" depois que o Hezbollah e seus aliados conseguiram apoio para a nomeação de Mikati.

Hariri foi derrubado do cargo há duas semanas, quando o governo de união nacional perdeu o apoio do Hezbollah, que retirou seus ministros.

O grupo ficou indignado com a possibilidade de partidários seus serem indiciados pelo tribunal internacional que investiga a morte do pai do premiê, Rafik al Hariri, assassinado em 2005.

"O sangue sunita está fervendo", gritavam alguns manifestantes, queimando fotos de Mikati (que é sunita), e agitando as bandeiras azuis do Movimento Futuro, de Hariri, que promete não participar de nenhum governo que seja dominado pelo Hezbollah, um grupo xiita.

Pelo sistema libanês de partilha de poderes, o primeiro-ministro do país é sempre sunita, e os seguidores de Hariri dizem que um político que aceitar uma indicação do Hezbollah para formar o novo governo deve ser considerado um traidor.

Na zona sul de Beirute, manifestantes bloquearam uma estrada com pneus em chamas e viraram caçambas de lixo. Uma fonte da área de segurança disse que o Exército interveio, e que tiros foram disparados para o alto. Não houve registro de feridos.

Mikati conseguiu apoio do líder druso Walid Jumblatt, e na terça-feira conseguiu outro aval importante, do político sunita Mohammed Safadi.

O impasse político aprofunda as divisões sectárias no Líbano, e os seguidores de Hariri já haviam protestado em várias cidades na segunda-feira, queimando pneus e bloqueando ruas.

veja também