MENU

Casa de presidente da Costa do Marfim é atacada, diz porta-voz

Casa de presidente da Costa do Marfim é atacada, diz porta-voz

Atualizado: Terça-feira, 5 Abril de 2011 as 10:31

Um porta-voz do presidente da Costa do Marfim, Laurent Gbagbo, informou nesta terça-feira (5) que a casa do governante foi atingida pelo menos 50 vezes por um helicóptero Mi-24 das Nações Unidas helicóptero. Segundo o ministro das Relações Exteriores Alcide Djedje, que abandonou o regime, o presidente Gbagbo estaria na casa com a família e membros do governo e do gabinete.

A atual onda de violência que tomou conta do país começou em novembro do ano passado, depois das eleições presidenciais. A ONU confirmou a vitória de Alassane Ouattara nos resultados, mas o atual governante do país, Gbagbo, recusou-se a aceitar a derrota, reavivando uma guerra civil que a eleição pretendia encerrar.

Forças internacionais lançaram ataques ao país nesta segunda-feira, após as tentativas de persuadir Gbagbo a sair pacificamente terem esgotado. Uma resolução do Conselho de Segurança da ONU autorizou-os a tirar o de arsenal Gbagbo, que estava sendo usado para atacar civis.     Combates assolaram novamente na terça-feira a base militar de Akban, que havia sido alvejada por forças francesas e da ONU.

O porta-voz oficial do governo, Don Ahou Mello, também confirmou que um grande campo militar havia sido destruído durante um ataque de segunda-feira. Mello disse que Gbagbo "ainda está em Abidjan", mas se recusou a especular sobre se ele estava pensando em renunciar.

'Situação dramática'

A situação humanitária em Abidjan, capital econômica da Costa do Marfim, se tornou "absolutamente dramática" para os civis presos em meio aos combates, afirmou a ONU.     "A maioria dos hospitais não funcionam, falta oxigênio... Quanto às ambulâncias, também não funcionam e quando funcionam são alvos de tiros", declarou Elisabeth Byrs, porta-voz do Escritório das Nações Unidas para a Coordenação de Assuntos Humanitários.

"Chegar até a população civil é impossível pelos problemas de segurança", completou Elisabeth, antes de afirmar que corpos estão nas ruas há vários dias.

Rendição?

Laurent Gbagbo estaria negociando uma rendição, afirmou nesta terça-feira (5) à Rádio França Internacional (RFI) Ally Coulibaly, embaixador na França nomeado por Alassane Ouattara. "Acredito que Laurent Gbagbo está vivo. Fiquei sabendo que estava negociando uma rendição", declarou o diplomata.

"Abdijan se transformou em uma fábrica de boatos e não quero aumentar a desinformação. Tomei conhecimento de que desde ontem (segunda-feira) tenta negociar. Não é muito tarde", acrescentou Coulibaly. O embaixador disse ignorar o canal de negociação e se existe um mediador.      

veja também