MENU

Chávez promove general acusado pela OEA de 'ameaçar golpe'

Chávez promove general acusado pela OEA de 'ameaçar golpe'

Atualizado: Sexta-feira, 12 Novembro de 2010 as 10:11

O presidente da Venezuela, Hugo Chávez, promoveu um alto comandante militar venezuelano que jurou "lealdade" à revolução bolivariana, desatando críticas da oposição e da Organização de Estados Americanos (OEA).

O chefe do Comando Estratégico da Venezuela e segundo homem na hierarquia militar do país, o general Henry Rangel Silva, disse que poderia haver uma rebelião cívico-militar caso a oposição ganhasse as eleições em 2012 e desse início a um processo de "limpeza" contra os generais que foram leais à Chávez.

O secretario-geral da OEA, José Miguel Insulza, disse que a declaração era "inaceitável". Para a oposição venezuelana, Silva violou a Constituição ao jurar lealdade ao projeto chavista.

Na quinta-feira, Chávez disse que militar declarou lealdade à Constituição do país e promoveu-o ao ranking de general-em-chefe. "Parabenizo-o por sua claridade estratégica", afirmou Chávez.

Mais cedo, a chancelaria venezuelana emitiu um comunicado qualificando as declarações de Insulza como "inaceitável intromissão" nos assuntos internos do país.    

veja também