MENU

China proíbe tratamento de choque para dependentes de internet

China proíbe tratamento de choque para dependentes de internet

Atualizado: Terça-feira, 14 Julho de 2009 as 12

"A terapia de choque para curar dependência de internet não tem fundamento ou evidências em pesquisas clínicas, e, portanto, sua aplicação não é apropriada", diz o comunicado do Ministério da Saúde.  

A decisão surge depois que relatos recentes de jornais indicavam a ação controversa de um psiquiatra em Linyi, na província de Shandong, que teria administrado a terapia de choque a três mil adolescentes para tentar desligá-los da dependência de internet.

A China, país mais populoso do mundo, tem também o maior número de internautas, acumulando cerca de 300 milhões de usuários até o final de 2008, segundo a agência China Internet Network Information Center.

Tratamento de choque

No país, cerca de 200 organizações oferecem tratamento para distúrbios relacionados a internet. A forte cobrança dos pais por uma carreira de sucesso é um dos fatores que contribui para o aumento dos casos, principalmente entre os jovens.

O criador da "terapia de impacto elétrico", segundo o jornal "Chinha Youth Daily", é Yang Yongxin, conhecido como "Tio Yang". Ele controla o Centro de Tratamento para Vício em Internet no Hospital Psiquiátrico de Linyi.

Nessa clínica, os pacientes jovens são acompanhados pelos pais e não podem ter contato com pessoas de fora. Eles recebem tratamento de choque e drogas psicotrópicas, segundo o jornal, e pagam cerca de US$ 800 por mês.  

O jornal informa que "Tio Yang" e os outros seis "especialistas" da clínica não têm formação em psicoterapia.

veja também