MENU

Classe média e petróleo são atrativos de visita ao Brasil, diz Obama

Classe média e petróleo são atrativos de visita ao Brasil, diz Obama

Atualizado: Sexta-feira, 18 Março de 2011 as 3:07

Um dia antes de vir ao Brasil, o presidente norte-americano Barack Obama destacou nesta sexta-feira (18) que a crescente classe média brasileira e as recém-descobertas reservas de petróleo ‘bem maiores’ que as dos Estados Unidos como alguns dos principais atrativos para sua visita, que começa neste sábado (19).

Em um artigo publicado nesta sexta-feira pelo jornal "USA Today" Obama enfatizou o desejo de fortalecer relações: com a presidente Dilma Rousseff, “para aproximar as duas maiores economias e democracias do hemisfério”, e com o setor de petróleo.

“Nós também trabalharemos para fortalecer nosso relacionamento no que se refere à energia. O Brasil descobriu recentemente reservas de petróleo que podem ser muito maiores que as nossas, e como procuramos aumentar nosso estoque de energia segura, nós esperamos desenvolver uma parceria estratégica”, afirmou o presidente.   “No texto, o presidente norte-americano disse também que o crescimento “impressionante” observado na América Latina nos últimos dias é bom para o povo do hemisfério, e bom para nós”.

De acordo com Obama, a "mais alta prioridade" dos Estados Unidos é criar empregos, em meio a um alto desemprego e uma recuperação econômica muito lenta - "uma das razões" da viagem do presidente à América Latina.

“Com cerca de 200 milhões de pesspas, uma classe média crescente e uma renda per capita que cresce cerca de 7% ao ano, o Brasil importa mais produtos e serviços dos Estados Unidos do que qualquer outra nação do mundo”, afirmou. “Em 1990, Brasil era o 16º maior Mercado para os nossos produtos. Ano passado, foi o oitavo maior”.

Washington está particularmente interessado no Brasil por causa de seus recursos energéticos, tanto tradicionais quanto "verdes", e nas oportunidades de investimento trazidas pela organização da Copa do Mundo, em 2014, e dos Jogos Olímpicos, em 2016.    

veja também