MENU

Comandante britânico afirma que Muammar Kadhafi não é alvo na Líbia

Comandante britânico afirma que Muammar Kadhafi não é alvo na Líbia

Atualizado: Segunda-feira, 21 Março de 2011 as 3:25

O comandante do Estado-Maior do Reino Unido, general David Richards, negou nesta segunda-feira (21) que o ditador da Líbia, Muammar Kadhafi, seja um objetivo da operação militar da coalizão internacional, ao contrário do que sugeriram nas últimas horas dois ministros britânicos.

Questionado pelo canal BBC se Kadhafi era um dos alvos da ofensiva, David Richards respondeu: "Em absoluto". "Não está permitido pela resolução das Nações Unidas e não é algo que queira discutir com detalhe", acrescentou o general.

As declarações foram feitas depois que o ministro britânico das Relações Exteriores, William Hague, e o da Defesa, Liam Fox, não descartaram a possibilidade de Kadhafi ser um alvo.

"Não vou especular sobre oss objetivos... Isto depende das circunstâncias no momento", declarou Hague à rádio BBC. Fox afirmou no domingo que Kadhafi era um objetivo legítimo ao qualificá-lo de "potencialmente possível".     Ataque

No domingo, um prédio administrativo do complexo residencial de Kadhafi no bairro de Bab el Aziziya, em Trípoli, foi atingido por um míssil. O prédio, situado a cerca de 50 metros da tenda onde Khadafi recebe geralmente seus convidados importantes, foi totalmente destruído.

Trata-se de um edifício administrativo que foi atingido por um míssil, confirmou o porta-voz do regime, Musa Ibrahim, aos jornalistas estrangeiros.

"Foi um bombardeio bárbaro, que poderia ter atingido centenas de civis congregados na residência de Muammar Khadafi, a cerca de 400 metros do prédio atingido", declarou Ibrahim, que denunciou as "contradições do discurso ocidental".

"Os países ocidentais dizem que querem proteger os civis, mas atacam uma residência onde sabem que há civis no interior", disse.      

veja também