MENU

Coreia do Norte afirma não sentir necessidade de dialogar com o Sul

Coreia do Norte afirma não sentir necessidade de dialogar com o Sul

Atualizado: Quinta-feira, 10 Fevereiro de 2011 as 2:31

A Coreia do Norte afirmou nesta quinta-feira (10) que não considera necessário manter um diálogo com o Sul, um dia depois da suspensão repentina das conversações militares iniciadas com o país vizinho, após meses de tensão.     "Como resultado claro que os traidores não querem uma melhora das relações entre Norte e Sul e querem evitar o diálogo, nosso Exército e nosso povo já não sentem necessidade de seguir dialogando com eles", afirma um comunicado publicado pela agência oficial de Pyongyang.

Como traidores o comunicado destaca, entre outros, os ministérios sul-coreanos da Defesa e da Unificação.

As autoridades militares da Coreia do Sul e da Coreia do Norte concluíram na quarta-feira dois dias de negociações sobre diversos temas, entre eles dois graves incidentes em 2010, sem alcançar um acordo, quando a delegação da Coreia do Norte abandonou a mesa de negociações.

A reunião entre representantes militares das duas Coreias foi a primeira desde o bombardeio de uma ilha do Sul pela forças de Pyongyang em novembro, o que aumentou a tensão entre os dois vizinho.

A delegação da Coreia do Norte cruzou a fronteira 10 minutos depois de ter abandonado a mesa de negociações, que foram negociadas num povoado fronteiriço situado na zona desmilitarizada, indicou à AFP um porta-voz do ministério.

As conversações terminaram sem que se tenha fixado uma data para uma nova reunião do tipo.

A Coreia do Sul pedia, durante este encontro, que o Norte apresentasse suas desculpas e se comprometesse a castigar os responsáveis dos dois graves incidentes ocorridos em 2010: o ataque a uma corveta sul-coreana, que deixou 46 mortos, e o bombardeio de 23 de novembro, com saldo de quatro mortos, dois deles militares.

Pyongyang negou ter torpedeado a corveta, como é acusado em uma investigação internacional. Quanto ao bombardeio, este foi empreendido em represálias pelas manobras militares sul-coreanas durante as quais vários obuses foram disparados nas águas norte-coreanas, afirma o Norte.

A Coreia do Norte desejava que a reunião iniciada na terça resultasse no compromisso de "suspender qualquer ação militar que pudesse ser interpretada como uma provocação da outra parte".

Este fracasso é uma "oportunidade perdida" pela Coreia do Norte para demonstrar a sinceridade da melhora da suas relações com Seul, reagiu o Departamento de Estado dos EUA.    

veja também