MENU

Costa Rica pode ter primeira presidente mulher

Costa Rica pode ter primeira presidente mulher

Atualizado: Segunda-feira, 8 Fevereiro de 2010 as 12

Os eleitores da Costa Rica comparecerão às urnas neste domingo (7) para eleger o sucessor do presidente Oscar Arias entre nove candidatos, com destaques para a que é apoiada pelo próprio, Laura Chinchilla, o político de direita Otto Guevara e o socialista Ottón Solís.

Os candidatos buscam neste sábado (6) apoio de última hora e a garantia de que seus partidários compareçam às urnas no domingo para escolher o sucessor do presidente Oscar Arias, Prêmio Nobel da Paz.

Chichilla, ex-vice-presidente de Arias, foi a favorita durante toda a campanha, mas a grande incógnita é se conseguirá no primeiro turno os votos necessários para se tornar a primeira presidente da Costa Rica.

Guevara e Solís centraram a campanha em ressaltar os escândalos do atual governo e em acusar Chinchilla de ser marionete de Arias, o que ela nega, apesar de declarar que pretende dar prosseguimento aos trabalhos.

Mais de 2,8 milhões de eleitores estão registrados para votar entre 6h (10h no horário de Brasília) e 18h (22h de Brasília) para renovar também os 57 membros da Assembleia Legislativa e os representantes municipais, em meio aos temores de uma grande abstenção após uma longa e tediosa campanha eleitoral.

A insegurança e a economia centraram a campanha dos principais candidatos, cujo diferencial está na personalidade e na forma de abordar os temas, além do apoio partidário que teriam para governar.

Chinchilla, uma cientista política de 50 anos, que tem Arias como mentor, é apoiada pelo partido mais antigo e melhor estruturado da política costarriquenha, Liberação Nacional (PLN), de teor social democrata e tendência de centro-direita.

Em sua terceira candidatura à presidência, Guevara, um advogado de 49 anos, é a surpresa desta campanha ao aparecer na segunda posição nas pesquisas graças a uma campanha agressiva - cujas origens dos recursos continuam um mistério -, centrada em atacar a suposta corrupção do governo Arias.

Desta vez, Guevara moderou a mensagem ultraliberal que sempre caracterizou o Movimento Libertário (ML) - que tem seis deputados -, mas incluiu uma provocação na campanha: lançar o debate para dolarizar a economia costarriquenha.

Após um início ruim nas pesquisas, Solís, 55 anos, também em sua terceira tentativa de chegar à presidência, que quase conseguiu na última eleição - perdeu para Arias por 1% -, se recuperou nos últimos dias de campanha, ao apontar seus cartuchos também contra Chinchilla, a quem chama de marionete dos Arias: Oscar e seu irmão e ministro da presidência, Rodrigo.

Na quarta posição nas pesquisas aparece Luis Fishman, do partido Social Cristão, que provocou risadas com seu atrevido slogan de campanha: "Sou o menos ruim dos candidatos".

A grande diferença da eleição pode ficar por conta da mobilização dos voluntários dos partidos no dia da votação e dos meios de transporte para levar as pessoas até as seções de eleitorais.

Se nenhum candidatos superar 40% dos votos válidos, uma nova votação acontecerá em 4 de abril.

veja também