MENU

Dilma vai ao Uruguai firmar parceria em hidrovia e telecomunicações

Dilma vai ao Uruguai firmar parceria em hidrovia e telecomunicações

Atualizado: Segunda-feira, 30 Maio de 2011 as 10:46

A presidente Dilma Rousseff vai ao Uruguai nesta segunda-feira (30), onde se encontra com o presidente uruguaio, José Mujica. Eles devem assinar acordos de cooperação nas áreas de energia e telecomunicações, além de parceria para construção de uma hidrovia ligando os dois países.

Conforme a agenda oficial de Dilma, ela chega a Montevidéu antes do almoço - o horário na capital uruguaia é o mesmo de Brasília. Ao chegar, Dilma deve visitar o Laboratório Tecnológico do Uruguai (Latu) e, em seguida, terá uma audiência com José Mujica.

Os dois assinam acordos e fazem declaração à imprensa, conforme a agenda. Dilma almoça com Mujica. A presidente sai do Uruguai com destino a Brasília por volta das 16h. A previsão é de chegar ao Brasil às 19h.

De acordo com o Planalto, serão assinados acordos para uma interconexão ferroviária e a implantação da hidrovia Brasil-Uruguai. Além disso, é esperada a assinatura de uma parceria para a construção de uma linha de transmissão elétrica entre os dois países.

Estão previstos ainda acordos em ciência e tecnologia e para a construção de laboratórios de TV digital no Uruguai. O intercâmbio comercial entre Brasil e Uruguai é equilibrado e alcançou US$ 3 milhões em 2010, um aumento de quase 20% em relação a 2009.

Dilma e Temer

Antes de viajar, havia previsão de Dilma encontrar na base aérea de Brasília o vice-presidente, Michel Temer, segundo informou Cristiana Lôbo . Ainda não há confirmação oficial sobre se o encontro aconteceu.

No sábado, Dilma Rousseff teria telefonado para Temer para convidá-lo para três encontros. Além do encontro na base aérea, Dilma deve ter uma audiência com o vice na terça-feira (31). Na quarta (1º), ele deve participar de almoço com a presidente e a bancada do PMDB no Palácio do Alvorada.

A iniciativa da presidente se deu após tensão entre PT e PMDB na votação do Código Florestal. Dilma tenta, com o gesto, recompor a relação política com o PMDB, partido do vice e que tem a segunda maior bancada na Câmara dos Deputados e a maior no Senado. De acordo com Cristiana Lôbo , o ministro da Casa Civil Antonio Palocci teria conversado com Temer em nome de Dilma e chegou a ameaçar de demissão os ministros do PMDB.        

veja também