MENU

Egito prepara mais protestos no 'Dia da Saída' convocado contra Mubarak

Egito prepara mais protestos no 'Dia da Saída' convocado contra Mubarak

Atualizado: Sexta-feira, 4 Fevereiro de 2011 as 9:35

O Egito amanheceu em relativa calma nesta sexta-feira (4), 11º dia dos protestos sem precedentes contra o governo de Hosni Mubarak, no que a oposição vem chamando de "Dia da Saída".

Os oposicionistas pressionam para que o presidente deixe o poder ainda nesta sexta, depois de quase 30 anos no governo.

Os egípcios estão reunidos orando na praça Tahrir, no centro do Cairo, e em outros pontos da capital e das principais cidades, antes de iniciarem os protestos contra o regime.

A oposição pediu que todos fossem às ruas, apesar dos confrontos dos dois dias anteriores, em uma nova tentativa de, como na terça-feira, levar um milhão de pessoas às ruas do país. Eles querem marchar até o palácio presidencial para pedir a saída de Mubarak.   O ministro da Defesa, Mohamed Husein Tantaui, foi à praça para negociar.

Cercado por soldados, ele discursou e voltou a garantir que Mubarak não vai tentar a reeleição em setembro.

O ministro reiterou o pedido dos principais líderes do país a um diálogo com a oposição e citou especialmente o Guia Supremo da Irmandade Muçulmana - o grupo mais articulado dos adversários de Mubarak - Mohamed Badi.

A Irmandade Muçulmana está preparada para iniciar conversas de transição, mas só depois da renúncia de Mubarak, afirmou o guia supremo Mohammed Badie à TV Al Jazeera.

A situação no Cairo, especialmente no centro da cidade, parece ser tranquila, e não há registros de novos tiroteios e confrontos.

Os disparos foram feitos por supostos partidários do regime de Mubarak, concentrados em volta da Praça Tahrir, onde fazem guarda milhares de militantes da oposição para manter acesa a chama da revolta popular que começou em 25 de janeiro.

Na quinta-feira, houve vários choques entre partidários do regime e manifestantes contrários a Mubarak, especialmente nos arredores da praça Tahrir, o que causou a morte de mais três pessoas, segundo fontes oficiais.    

veja também