MENU

El Salvador espera ajuda após furacão Ida matar 130 pessoas

El Salvador espera ajuda após furacão Ida matar 130 pessoas

Atualizado: Segunda-feira, 9 Novembro de 2009 as 12

Veja fotos da destruiçãoO furacão Ida espalhou destruição em El Salvador antes de perder força no oceano; as chuvas deixaram mais de 10 mil desabrigados no país centroamericano

El Salvador aguarda ajuda internacional para atender os milhares de afetados pelo furacão Ida e vai iniciar o cálculo dos danos causados pelas inundações, que mataram pelo menos 130 pessoas e deixaram 10 mil desabrigados.

O ministro das Relações Exteriores salvadorenho, Hugo Martínez, disse que a ajuda já começou a chegar:

''Nós salvadorenhos não estamos sozinhos. Tivemos a voz solidária de vários países do mundo e do sistema multilateral. Esta ajuda começará a canalizar imediatamente, pois começam a chegar (nesta segunda) os primeiros carregamentos de ajuda''.

Na noite de domingo, o presidente Mauricio Funes decretou estado de emergência nacional, com o que o governo autoriza o uso de fundos especiais para atender os problemas decorrentes das chuvas, embora a quantia não tenha sido revelada.

Por enquanto, a nação centro-americana recebeu ofertas de ajuda de países como Cuba, Japão, Panamá, Venezuela e Guatemala, além da União Europeia e da ONU, explicou Martínez.

Furacão perde força

O furacão Ida perdeu força ao deixar o continente e seguir com destino ao Golfo do México nesta segunda-feira. Às 7h de Brasília, o Ida estava 460 km ao sul-sudeste da foz do rio Mississippi, segundo o Centro Nacional de Furacões (NHC), com sede em Miami.

Antes de cair para a categoria 1, com ventos máximos sustentados de 150 km/h, Ida também passou pela península mexicana de Yucatán, sem provocar danos consideráveis na infraestrutura do balneário de Cancún.

Prejuízos são grandes

O presidente salvadorenho acrescentou que nos próximos dias, com a ajuda de técnicos da Comissão Econômica para a América Latina (Cepal) e das Nações Unidas, o país realizará um estudo sobre os danos e o custo dos mesmos.

Segundo os primeiros dados oficiais, 1.570 casas foram danificadas, 168 casas foram destruídas e 1.400 estão em situação de risco.

O presidente Funes disse que as perdas e os danos causados pelas chuvas são a expressão da ''vulnerabilidade'' do território salvadorenho ante fenômenos naturais.

Funes, que deve visitar nesta segunda-feira as zonas atingidas pelas chuvas, também destacou que, por enquanto, é cedo para calcular exatamente as perdas decorrentes das inundações.

Os departamentos mais atingidos são os centrais San Salvador, La Libertad, Cuscatlán, La Paz e o oriental departamento de San Vicente.

Até agora, as mais de 10 mil pessoas que foram evacuadas de zonas afetadas estão em 37 albergues onde a Secretaria de Inclusão Social, dirigida pela primeira-dama da República, Vanda Pignato, distribuiu 17 toneladas de alimentos.

veja também