MENU

Em NY, premiê israelense e chefe da ONU discutem paz no Oriente Médio

Em NY, premiê israelense e chefe da ONU discutem paz no Oriente Médio

Atualizado: Quinta-feira, 8 Julho de 2010 as 9:40

O primeiro-ministro de Israel, Binyamin Netanyahu, e o secretário-geral da ONU (Organização das Nações Unidas), Ban Ki-moon, discutiram esforços para promover a paz no Oriente Médio e o bloqueio à faixa de Gaza, durante encontro na sede da ONU em Nova York.

Representantes das Nações Unidas disseram que o encontro durou cerca de uma hora na tarde desta quarta-feira, incluindo uma discussão a sós.

Netanyahu não falou com os jornalistas, e o porta-voz associado da ONU Farhan Haq divulgou um comunicado curto, dizendo apenas que foram discutidos o processo de paz no Oriente Médio, o bloqueio a Gaza e o conflito entre Israel e Líbano, "entre outros tópicos".

Ontem, Ban elogiou a decisão israelense de aumentar "o escopo e a quantidade de materiais" com entrada permitida em Gaza, mas reiterou o pedido para medidas mais amplas e uma mudança significativa na estratégia de Israel para atender "as grandes necessidades da população de Gaza".

Netanyahu apresentou-se na ONU --onde Israel não tem sempre uma boa imagem ante os representantes dos 192 Estados membros, por causa do interminável conflito palestino--, tranquilizado, de certa forma, pela calorosa acolhida de terça-feira do presidente americano Barack Obama.

Obama pediu que Israel e os palestino retomem as negociações diretas de paz "bem antes" de uma moratória de dez meses de Israel para novas construções em assentamentos na Cisjordânia terminar, em setembro.

PROMESSAS

Após o encontro com Obama, Netanyahu declarou ao canal ABC que queria chegar a um acordo com o presidente palestino Mahmoud Abbas desde que aceitável para os israelenses.

"Queremos que o presidente Abbas aperte minha mão e negocie um acordo de paz definitivo entre Israel e os palestinos," disse ele ao canal de televisão americano.

Também se declarou confiante na possibilidade de conclusão de um acordo de paz no Oriente Médio, depois de décadas de tentativas.

"Não sejam céticos," insistiu Netanyahu. "É verão e poderemos fazer milagres se o quisermos verdadeiramente".

Ele também afirmou à ABC estar "pronto a fazer mais" para melhorar as condições de vida dos moradores de Gaza. E citou "liberdade de movimento, alguns projetos econômicos. O importante é que estamos prontos", insistiu.

RESPOSTA

O presidente da Autoridade Nacional Palestina (ANP), Mahmoud Abbas, disse hoje na Etiópia que sua Administração está preparada para entabular negociações de paz diretas com Israel sob a condição de que o país responda positivamente às exigências dos palestinos.

Abbas deu a declaração em Adis-Abeba no final de sua visita oficial de três dias à Etiópia, durante a qual manteve conversas com o primeiro-ministro do país, Meles Zenawi, seu presidente, Girma Woldegiorgis, e outros altos funcionários do Governo etíope.

"Estamos dispostos a entrar em negociações diretas desde que recebamos sinais positivos de Israel", disse Abbas em entrevista coletiva na embaixada palestina nesta capital, onde lançou junto com Zenawi a pedra fundamental para a ampliação da legação diplomática.

Segundo Abbas, a ANP apresentou suas propostas a Israel e aos Estados Unidos e "espera agora a reação israelense".

Ele expressou também esperanças de que Israel suspenda o bloqueio que mantém sobre a faixa de Gaza "porque é horrível para todos, especialmente para os 1,5 milhão de civis palestinos que vivem ali".

veja também