MENU

Empresas argentinas querem atuar em obras da Copa, diz embaixador

Empresas argentinas querem atuar em obras da Copa, diz embaixador

Atualizado: Sexta-feira, 29 Julho de 2011 as 3:27

O embaixador da Argentina no Brasil, Juan Pablo Lohle, afirmou nesta sexta-feira (29) que um dos pontos na pauta de encontro entre as presidentes Dilma Rousseff e Cristina Kirchner será o pleito de empresários argentinos interessados em participar das obras da Copa do Mundo de 2014.

  Segundo Lohle, um grupo de cinco grandes empreiteiras argentinas defende a abertura do mercado brasileiro para a realização de contratos. Ele justificou a demanda argumentando que grandes empreiteiras brasileiras já atuam em obras na Argentina e cobrou “equivalência” na relação entre os países.

“O que é necessário é abrir o mercado, ter equivalência nas relações, porque, hoje, grandes empreiteiras do Brasil já atuam na Argentina e nós temos quatro ou cinco grandes construtoras que têm capacidade para estar no mercado brasileiro”, disse Lohle, no Palácio do Planalto, pouco antes da chegada da presidente argentina.

‘Controvérsias são naturais’

Sobre os conflitos nas relações comerciais envolvendo Brasil e Argentina, como as barreiras impostas pelo país a produtos brasileiros, o embaixador argentino minimizou as tensões afirmando que “todos os dias” resolve problemas desse tipo na embaixada.

“As controvérsias [comerciais] são naturais em uma relação que movimenta US$ 33bilhões. Todos os dias nós resolvemos problemas desse tipo na embaixada”, argumentou Lohle.

Comitiva argentina

A presidente da Argentina, Cristina Kirchner, chegou por volta de 11h40 ao Palácio do Planalto para o encontro com a presidente Dilma Rousseff. A conversa reservada entre as presidentes é o primeiro compromisso de uma extensa agenda que inclui almoço no Palácio do Itamaraty e inauguração da nova sede da embaixada argentina na capital federal.

A Argentina foi o primeiro país visitado por Dilma após assumir a Presidência da República. O encontro ocorreu em 31 de janeiro e marcou a primeira conversa bilateral entre as duas presidentes.

Durante a passagem de Cristina por Brasília, questões comerciais entre Brasil e Argentina, como as barreiras argentinas a produtos brasileiros, ficarão em segundo plano. Segundo o ministro das Relações Exteriores, Antonio Patriota, Dilma e Cristina irão conversar mais sobre as relações diplomáticas entre os dois países.

“Questões comerciais encontram-se nos seus canais habituais já consolidados no diálogo que mantém o ministro [do Desenvolvimento] Fernando Pimentel com a ministra [da Indústria da Argentina] Débora Giorgi”, disse Patriota.        

veja também