MENU

Enchentes matam mais de 900 e deixam 470 desaparecidos na China

Enchentes matam mais de 900 e deixam 470 desaparecidos na China

Atualizado: Quarta-feira, 28 Julho de 2010 as 4:18

As enchentes causadas pelas fortes chuvas no nordeste da China deixaram ao menos 928 mortos e outros 477 desaparecidos nas últimas semanas, informou o departamento estadual de Controle de Enchentes e Prevenção de Seca chinês.

As inundações, tidas como as maiores da década, também deixaram dezenas de bilhões de dólares em prejuízo.

Em toda China, um total de 875 mil casas foram destruídas, 9,6 milhões de pessoas foram evacuadas e 22 milhões de acres destinados à agricultura foram inundados. As piores inundações da China ocorreram em 1998, quando 4.150 pessoas foram mortas, a maioria ao longo do Yangtze.

Na cidade de Kouqian, cerca de 30 mil moradores ficaram presos em suas casas depois que as chuvas torrenciais atingiram a Província de Jilin nesta quarta-feira. A água começou a encher as ruas da cidade depois que a reserva de Xingshan e os rios Wende e Songhua tiveram aumento brusco dos níveis. Equipes de resgate estão levando suprimentos de barco e movendo os moradores para áreas mais altas.

As inundações atingiram áreas em toda a China. Milhares de trabalhadores construíram barreiras com sacos de areia nas margens de rios e reservatórios como preparação para potenciais inundações esperadas ao longo dos já cheios rios Yangtze e Han, informou um oficial da Comissão de Recursos da Água do Yangtze. Ele deu apenas seu sobrenome, Zhang, como é comum com os funcionários chineses.

"Agora, o rio Han, na Província de Hubei está à beira superar os níveis de alerta", disse Zhang. O rio deve chegar ao seu nível mais alto em duas décadas, informou a agência de notícias Xinhua.

A ameaça de inundação foi maior do que o habitual, porque o Yangtze, no qual o Han deságua, também atinge níveis máximos, disse o oficial.

Os trabalhadores estão preparados para abrir buracos no barranco do rio Han para desviar as águas de inundação para uma área de baixa altitude de fazendas e viveiros de peixes --da onde mais de 5.000 pessoas já foram evacuadas.

Embora a China enfrente chuvas torrenciais a cada verão, as inundações deste ano são as piores em mais de uma década. O rio Yangtze subiu 15% a mais do que na média, disse Duan Yihong, diretor do Centro Meteorológico Nacional.

"As chuvas devem começar a desacelerar em agosto, mas é difícil prever agora o que exatamente vai acontecer", disse Duan. "Temos que estar atentos e acompanhar de perto o tempo [...] e fazer o melhor trabalho de previsão".

Milhares de funcionários das equipes de resgate na Província de Henan, centro da China, procuraram por sobreviventes nesta quarta-feira, depois que uma ponte desmoronou no rio Yi, matando 37 pessoas e deixando outras 29 desaparecidas, informou a Xinhua.

As inundações também colocaram a Reserva das Três Gargantas à prova. Na manhã de quarta-feira, o fluxo da barragem de água chegou a 56 mil metros cúbicos por segundo --o maior pico de fluxo deste ano--, com o nível da água atingindo 158 metros, disse a Xinhua. O nível está apenas 10% abaixo da capacidade máxima da represa.

O governo chinês vangloriou-se por anos da represa, o maior projeto hidrelétrico do mundo, como a solução para séculos de inundações devastadoras ao longo do Yangtze.

veja também