MENU

Equipes baixam tanque para conter vazamento de petróleo nos EUA

Equipes baixam tanque para conter vazamento de petróleo nos EUA

Atualizado: Sexta-feira, 7 Maio de 2010 as 10:24

Veja imagens do acidenteEquipes baixam domo para tentar recolher petróleo que vaza no fundo do mar do golfo do México desde o afundamento de uma plataforma no dia 22 de abril

Técnicos da empresa britânica British Petroleum (BP) começaram na noite desta quinta-feira (6) a baixar para o fundo do mar uma espécie de tanque de aço e concreto projeto para recolher o petróleo que vaza no leito do oceano do golfo do México desde o afundamento da plataforma Deepwater Horizon, no dia 22 de abril.

O domo de contenção, que pesa 98 toneladas e tem quatro andares de altura, foi baixado 1,5 mil metros até o fundo do oceano e posicionado sobre o maior dos dois ''buracos'' que continuam vazando petróleo. Na última quarta-feira (5), submarinos conseguiram fechar o menor dos vazamentos.

A ideia é que o equipamento recolha todo o petróleo que sai desse ponto de vazamento, bombeando-o até um navio de transporte na superfície do oceano. Se a instalação for bem-sucedida, o tanque deve ajudar a conter  até 85% do vazamento de petróleo, que pode ser equivalente ao volume de quatro piscinas olímpicas por dia, segundo um executivo da empresa britânica.

A operação de instalação e conexão dos cabos do domo até o navio deve durar todo o fim de semana, e o sistema só deve começar a operar na próxima segunda-feira (10).

Apesar dos imensos esforços e dos milhões de dólares gastos na construção emergencial do equipamento, o principal executivo da BP,  Tony Hayward, disse ao jornal The New York Times que não estava contando com o funcionamento do sistema. ''Esta é apenas uma das nossas frentes de batalha'', afirmou.

Os técnicos da BP também dizem que essa é uma operação experimental, sem resultados garantidos. Domos de contenção já foram utilizados antes, mas nunca em profundidades tão grandes. A estrutura de aço foi construída durante a última semana por mais de duas dezenas de técnicos que trabalharam em turnos, 24 horas por dia.

A mancha de petróleo do golfo do México atingiu a costa de Louisiana nesta quinta-feira (6), informaram fontes oficiais. Este é o primeiro impacto em terra do vazamento desde a explosão da plataforma, no dia 20 de abril.

Até a última quarta-feira (5), calculava-se que cerca de 9,5 milhões de litros de petróleo haviam vazado desde que a plataforma afundou. O acidente deixou 11 mortos e sete feridos.

O derramamento desencadeou temores de uma catástrofe ambiental na região, que tem 40% dos pântanos americanos, área essencial de desova para peixes, camarões e caranguejos, além de uma importante parada para as aves migratória.

Foto: AFP

veja também