MENU

Escola dos EUA pagará US$ 35 mil a aluna impedida de levar namorada a baile

Escola dos EUA pagará US$ 35 mil a aluna impedida de levar namorada a baile

Atualizado: Quarta-feira, 21 Julho de 2010 as 10:59

A escola do Condado de Itawamba, no Estado americano do Mississipi, terá de pagar US$ 35 mil (R$) e, indenização para a aluna Constance McMillen, 18, assumidamente lésbica, que foi proibida de levar sua namorada ao baile de formatura.

A escola terá ainda que adotar uma política contra a discriminação por orientação sexual, segundo um comunicado divulgado ontem pela American Civil Liberties Union (ACLU), que processou a instituição em nome de McMillen.

  "Eu estou tão feliz que isso acabou. Eu nunca vou conseguir meu baile de formatura de volta, mas vai valer a pena se mudar as coisas na minha escola", disse McMillen, em comunicado citado pela imprensa americana.

O baile, previsto para 2 de abril, foi cancelado pela escola quando McMillen pediu para usar terno e levar sua namorada no evento de gala. Na época, a escola disse ter agido com base "na educação, segurança e bem estar dos alunos".

Segundo a ACLU, a escola, pais e alunos enganaram McMillen ao convidá-la para um baile com apenas algumas pessoas --quando o verdadeiro evento ocorria em outro local.

Em março, um juiz federal determinou que a escola violou os direitos de McMillen ao impedir que ele fosse ao evento com sua namorada.

Em 2004, o grupo de direitos dos gays GLSEN divulgou um relatório no qual apontava que, de todos os 50 Estados, Mississipi tem o ambiente mais hostil para jovens gays.

Desde que a história de McMillen foi revelada, a jovem ganhou uma bolsa de estudos de US$ 30 mil de um doador anônimo, foi convidada de destaque na Parada do Orgulho Gay de Nova York e conquistou 410 mil apoiadores em uma página do Facebook "Deixe Constance levar sua namorada ao baile".

"Significa muito para mim", disse McMillen. "A quantidade de apoio me ajuda a continuar na luta".  

veja também