MENU

Estudante de direito prende padrasto que a estuprou após 20 anos

Estudante de direito prende padrasto que a estuprou após 20 anos

Atualizado: Quarta-feira, 13 Julho de 2011 as 4:51

Uma mulher que sofreu sucessivos estupros de seu padrasto durante nove anos conseguiu colocá-lo na cadeia mais de duas décadas depois, na Inglaterra, informa o tabloide britânico “Daily Mail”.

Tina Renton, de 36 anos, decidiu denunciar o abuso após aprender, durante uma das aulas do curso, que o padrasto, David Moore, ainda poderia ser processado.

Renton, que se casou no último verão, contou ter sofrido com os ataques do padrastro, de 59 anos, desde 1981, quando tinha apenas 6 anos, até 1990, quando já tinha 15.

Depois de enfrentar essa realidade durante toda a infância e adolescência, ela finalmente superou uma profunda desconfiança dos homens, teve dois filhos e se matriculou em um curso de direito na Universidade de Essex.

“Ele roubou toda a minha infância”, disse a estudante de direito ao jornal britânico. Semanas depois de concluir o curso, ela foi à polícia e revelou os ataques de que foi vítima.     “Eu estava estudando sobre evidências criminais no final do curso e tendo aulas sobre a Lei de Crimes Sexuais. Eu não pensava que ainda fosse possível levar o meu caso aos tribunais tantos anos depois”, disse.

A estudante, que ainda não atua como advogada e trabalha como assistente social, disse não ter denunciado o padrasto antes porque estava em um relacionamento ruim e depois se tornou uma mãe jovem e solteira, o que a fazia se sentir insegura para enfrentar todas as etapas de um processo.

“Em 2009, quando contatei a polícia, estava pronta para enfrentar o caso – na verdade, era uma questão de ‘agora ou nunca’”. Na última sexta, David Moore foi condenado a 14 anos.

O homem foi considerado culpado por sete acusações de atentado ao pudor, três acusações de atentado violento ao pudor com uma criança e três acusações de estupro por um tribunal de Southend.

“Estou muito feliz que consegui passar por isso e espero que outras crianças que estão sendo abusadas consigam se defender. Isso mostra que há justiça, e que você pode lutar por ela. Não importa que seja na época ou 20 anos depois, aconteceu para mim. Nunca é tarde”, disse Renton.

veja também