MENU

EUA deportam número recorde de imigrantes em 2011

EUA deportam número recorde de imigrantes em 2011

Atualizado: Quarta-feira, 19 Outubro de 2011 as 9:45

Os Estados Unidos deportaram perto de 400 mil imigrantes ilegais no ano fiscal de 2011 - o número mais alto desde que o Serviço de Imigração e Controle Alfandegário (ICE, na sigla em inglês) foi criado, oito anos atrás.

Foram deportados 396.906 estrangeiros no ano fiscal que terminou em 30 de setembro, disse a agência na terça-feira. Em 2010 foram deportadas 393 mil pessoas.

O número destaca a tensão na tentativa do presidente Barack Obama em diminuir as deportações, que aumentam em ritmo constante, e seu desejo de formular uma política imigratória mais popular antes da eleição de 2012.

A imigração ilegal é uma questão polêmica nos Estados Unidos. Mais de 11 milhões de imigrantes ilegais vivem e trabalham no país, segundo o Centro Hispânico Pew.

Estados como o Arizona e a Geórgia tentam promulgar suas próprias leis contra a imigração ilegal, argumentando que o governo federal faz pouco para contê-la.

Embora Obama não tenha conseguido até agora aprovar no Congresso uma significativa reforma imigratória, ele decretou em agosto que o Departamento de Segurança Interna priorizasse deportações de criminosos - uma medida vista por analistas como uma maneira de tranquilizar os defensores de leis imigratórias mais liberais.

Na eleição de 2008, 67% dos hispânicos votaram em Obama na disputa contra o rival republicano John McCain.

"O total deste fim de ano indica que estamos progredindo, retirando do país mais criminosos condenados, pessoas que cruzaram a fronteira recentemente e foragidos das leis imigratórias", disse John Morton, diretor do ICE.

Pouco mais da metade dos deportados do país foi condenada por crimes relacionados a drogas, dirigir embriagado, homicídio ou crimes sexuais.

Pouco mais de 142 mil deportados eram imigrantes descritos pela agência como 'pessoas que cruzaram recentemente a fronteira' ou que violaram repetidamente a lei de imigração.          

veja também