MENU

EUA desejam pronta recuperação a Hugo Chávez

EUA desejam pronta recuperação a Hugo Chávez

Atualizado: Sexta-feira, 1 Julho de 2011 as 2:26

Os Estados Unidos desejaram uma recuperação rápida ao presidente venezuelano, Hugo Chávez, que informou na quinta-feira ter sido operado de um tumor canceroso.

"O governo americano tomou conhecimento das notícias sobre a saúde do presidente Chávez e, apesar de ser um assunto pessoal, desejamos a ele uma recuperação rápida", afirmou o porta-voz para a América Latina do Departamento de Estado, William Ostick.

"Qualquer pergunta sobre seu estado de saúde deve ser dirigida ao governo da Venezuela", acrescentou.

O presidente venezuelano, Hugo Chávez, admitiu na quinta-feira, em mensagem à Nação, que retirou um tumor canceroso em cirurgia realizada em Cuba, destacando que se recupera favoravelmente e tem plena esperança na cura.

"Os estudos confirmaram a existência de um tumor com a presença de células cancerosas, o que exigiu uma necessária segunda intervenção, que permitiu a extração total do tumor", explicou o presidente em um emocionado discurso, no qual manifestou sua esperança na plena recuperação.

Chávez, 56 anos, que está em Havana há três semanas, revelou que foi submetido a duas cirurgias: uma devido a um abscesso pélvico, da qual o povo venezuelano foi informado, e outra posterior, para retirar o tumor, ao que parece também situado na mesma região.

"Foi uma intervenção maior, realizada sem complicações, após a qual estou evoluindo satisfatoriamente enquanto recebo os tratamentos complementares para combater os diferentes tipos de células encontrados e prosseguir no caminho de minha plena recuperação", explicou Chávez, admitindo que cometeu um "erro fundamental" ao descuidar da saúde durante anos.

INCERTEZA

Com a confirmação da doença, os venezuelanos se veem diante de um panorama político incerto em ano pré-eleitoral.

Aliados de Chávez também se encontram sem rumo devido à falta de um sucessor claro caso o presidente tenha que ficar afastado do poder devido à doença.

Desde a viagem de Chávez a Havana, a oposição já vinha cobrando informações claras sobre a saúde do presidente e a data de retorno à Venezuela.

Para analistas, a ausência prolongada do presidente -- que está há mais de 20 dias em Cuba-- pode colocar em risco a governabilidade do país, que dá sinais de fragilidade sem o líder venezuelano no comando.

Simpatizantes, contudo, prometeram continuar sua iniciativa esquerdista, que inclui a nacionalização de grandes partes da economia, um amplo desafio diplomático contra o domínio norte-americano na região, e a tomada de controle da indústria de petróleo que é uma fornecedora importante dos Estados Unidos.

veja também