MENU

EUA pagarão R$ 2,16 bilhões por discriminar fazendeiros negros

EUA pagarão R$ 2,16 bilhões por discriminar fazendeiros negros

Atualizado: Sexta-feira, 28 Outubro de 2011 as 10:35

Um juiz federal norte-americano aprovou na quinta-feira (27) um acordo de US$ 1,25 bilhão em um processo judicial de discriminação que já dura uma década aberto por fazendeiros negros. Em reais, o valor é equivalente a mais de R$ 2,16 bilhões.

A decisão permitirá que eles busquem compensação no Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA, na sigla em inglês) por terem sido excluídos dos programas da assistência agrícola do governo.

O juiz do tribunal distrital Paul Friedman escreveu que o Congresso, ao dispensar o prazo de prescrição, contribuiu para reparar "a histórica discriminação contra fazendeiros afro-americanos". Ele disse que o acordo era "justo, razoável e adequado".

Os fazendeiros negros chegaram a esse acordo com o governo em fevereiro de 2010 para compensá-los por terem sido excluídos durante anos de empréstimos e programas de assistência governamentais voltados para a agricultura, supostamente por discriminação.

A ação judicial coletiva original, o caso Pigford, segundo o fazendeiro da Carolina do Norte Timothy Pigford, foi resolvida em 1999 por US$ 1 bilhão, dois anos depois que um grupo de fazendeiros afro-americanos processou o então secretário da Agricultura Dan Glickman.          

veja também