MENU

Explosão de carro-bomba em hospital afegão tem 60 mortos

Explosão de carro-bomba em hospital afegão tem 60 mortos

Atualizado: Sábado, 25 Junho de 2011 as 9:41

Pelo menos 60 pessoas morreram e cerca de outras 120 ficaram feridas em um atentado suicida contra um hospital da província de Logar, no leste do Afeganistão, na manhã deste sábado (25), segundo informou o Ministério da Saúde afegão em um novo balanço.

"Sessenta de nossos compatriotas, incluindo mulheres e crianças (...), morreram e outros 120, alguns deles funcionários da saúde, ficaram feridos", indica o ministério em um comunicado. Entre as vítimas, estão pacientes, médicos e visitantes do hospital, além de trabalhadores sanitários. Anteriormente, a informação indicava 30 mortos.

O atentado foi realizado com um carro-bomba, de acordo com o chefe de Polícia de Logar, Ghulam Sakhi. Segundo o chefe do conselho provincial, Abdul Wali Wakil, citado pela agência local "AIP", o ataque destruiu quase por completo o centro hospitalar do distrito de Zra.

O presidente afegão, Hamid Karzai, condenou o ataque, afirmando que "dezenas de civis" foram mortos. O porta-voz do grupo Talibã Zabihullah Mujahid negou que o grupo tenha sido responsável pelo ataque, afirmando que os insurgentes islamistas nunca atacam hospitais.

Número crescente de mortes

A tensão tem crescido no país por causa de mortes de civis em ataques, com grupos islâmicos e o governo afegão criticando as forças sob o comando da Otan por matar pessoas inocentes durante a caçada a militantes extremistas. Estimativas dos Estados Unidos, no entanto, afirmam que ataques terroristas são responsáveis por cerca de 75% das mortes de civis.

No ano de 2010 já se havia registrado o maior número de mortes desde a invasão americana após o ataque de 11 de Setembro, em 2001. Este ano parece poder superar o anterior, principalmente depois da ofensiva anunciada pelo Talibã no início de maio, após o anúncio da morte de Osama bin Laden.

Retirada de tropas

Os Estados Unidos e a Otan planejam começar um processo gradual de retirada das tropas do país ainda em julho deste ano, que só deve resultar na entrega total da segurança ao governo do Afeganistão no final de 2014. Alguns críticos, no entanto, afirmam que esta previsão ainda é prematura.            

veja também