MENU

Explosão mata 31 e deixa 59 presos em mina da Rússia

Explosão mata 31 e deixa 59 presos em mina da Rússia

Atualizado: Segunda-feira, 10 Maio de 2010 as 3:03

No title Equipes de resgate tentam nesta segunda-feira (10) salvar 59 pessoas que continuam presas dentro da maior mina de carvão da Rússia, que sofreu duas explosões no último sábado deixando 31 mortos.

Segundo nota do Ministério das Emergências, as explosões na mina Raspadskaya, 3 mil quilômetros a leste de Moscou, na região da Sibéria, ocorreram por causa da concentração de gás metano.

Aman Tuleyev, governador da região de Kemerovo, onde fica a mina, disse que o tempo está se esgotando para que os mineiros sejam resgatados com vida de áreas onde o sistema contra inundações falhou. "Se Deus quiser, eles ainda estão vivos", disse ele em entrevista a TVs locais. "Essa possibilidade ainda existe, mas... temos só 48 horas antes que inunde."

Esse é o pior desastre em uma mina russa desde maio de 2007, quando 39 morreram por causa de uma explosão de metano na mina de Yubileynaya, também em Kemerovo.

Mais de 350 mineiros estavam no subsolo na hora da primeira explosão, pouco antes da meia-noite de sábado. Quase 300 conseguiram fugir. "Sentimos a onda: poeira, gás e ar quente", disse um mineiro não-identificado à rádio Ekho Moskvy. "Ficamos bloqueados de ambos os lados, mas escapamos pela saída de emergência."

Dezenas de parentes se reuniram em um edifício próximo, muitos se abraçando e alguns chorando à espera de notícias.

Com a voz embargada, Alexandra Onishchenko contou à TV Rossiya 24 que estava perdendo a esperanças de ver seu filho com vida. "Que razões (para esperança) nós temos? Eles poderiam tê-los retirado nas quatro horas anteriores à (segunda) explosão."

O Ministério Público russo anunciou um inquérito criminal sobre possíveis violações das regras de segurança. "Precisamos fazer tudo o que for possível para salvar as pessoas", disse o primeiro-ministro Vladimir Putin em videoconferência com líderes das equipes de resgate no domingo.

veja também