MENU

Expulsão de diplomatas no Reino Unido foi 'irresponsável', diz Líbia

Expulsão de diplomatas no Reino Unido foi 'irresponsável', diz Líbia

Atualizado: Quarta-feira, 27 Julho de 2011 as 4:09

O governo da Líbia disse nesta quarta-feira (27) que a expulsão de seus diplomatas e o reconhecimento do conselho rebelde pelo Reino Unido, anunciada mais cedo, foi "ilegal e irresponsável".

O Reino Unido reconheceu mais cedo nesta quarta o Conselho Nacional de Transição como o único "governo legítimo" do povo da Líbia, informou o Foreign Office em comunicado.

  Pouco antes, o governo britânico havia anunciado que expulsou do país os últimos diplomatas líbios fiéis ao regime de Kadhafi que ainda ocupavam seus cargos em Londres.

"O encarregado de negócios líbio foi convocado pelo Ministério das Relações Exteriores, que o comunicou de que ele e outros diplomatas da Líbia eram alvo de uma notificação de expulsão", informou à um porta-voz do órgão britânico.

"Nós estamos convidando o Conselho Transicional Nacional a nomear um novo enviado diplomático líbio para assumir a embaixada da Líbia em Londres", acrescentou Hague.

Os anúncios aumentam a pressão pela saída do ditador Muammar Kadhafi do poder, em meio à guerra civil que abala o país do norte da África desde meados de fevereiro.

Questionado sobre se Muammar Kadhafi deve ter permissão de continuar na Líbia, o chanceler William Hague afirmou que "a melhor solução é que ele saia, mas isso cabe ao povo líbio decidir".

Ele disse que, em linha com uma resolução do Conselho de Segurança da ONU, o Reino Unido continua avaliando como descongelar ativos para apoiar rebeldes.

"A pedido da Companhia de Petróleo do Golfo Arábico, uma petrolífera da Líbia, a Grã-Bretanha está pronta para disponibilizar 91 milhões de libras dos ativos da empresa na Grã-Bretanha", acrescentou Hague.

Rebelde líbio guarda posição sobre telhado na cidade líbia de Gualish nesta segunda-feira (25) (Foto: AP)          

veja também