MENU

Favoritos, conservadores prometem 'resgate de valores' na Espanha

Favoritos, conservadores prometem 'resgate de valores' na Espanha

Atualizado: Sexta-feira, 18 Novembro de 2011 as 10:06

A eventual vitória dos conservadores nas eleições de domingo na Espanha causa grande preocupação no país entre representantes de grupos de defesa de direitos de minorias e setores progressistas da sociedade.

Mariano Rajoy, candidato do Partido Popular e favorito para substituir o socialista José Luis Rodriguez Zapatero, anunciou que promoverá, durante seu mandato, o 'resgate de valores tradicionais'.

'Na Espanha se perderam muitos valores que nestes tempos de crise devemos recuperar', disse ele em um comício em Barcelona..

Por declarações como esta e pelas posições defendidas pelo Partido Popular, o temor é de que o eventual governo conservador se empenhe em revogar leis aprovadas durante os dois mandatos prévios socialistas como a do casamento gay, do aborto, da memória histórica (que obrigou a retirada de símbolos da ditadura militar de espaços públicos) e da proibição de fumar em bares e restaurantes.

O presidente do Fórum Espanhol da Família, Benigno Blanco, disse esperar que Rajoy 'seja congruente se chegar a governar, pelas posturas que teve na oposição, porque tivemos 19 leis injustas que causaram uma grave crise moral na Espanha, tão ou mais profunda do que a econômica'.

'Dano brutal'

Em declarações à BBC Brasil, o líder da organização que defende os valores tradicionais com o lema 'Falando bem das coisas boas', disse que o período socialista provocou 'um dano brutal na qualidade das famílias, na saúde sexual dos jovens e um dramático número de abortos'.

Por isso classificou de inegociáveis as revogações de diversas leis. Especialmente as que permitem o aborto, a do divórcio 'expresso' (que dissolve casamentos em três meses) e do casamento gay.

Grupos de esquerda, feministas, laicos e gays veem a revogação dessas leis como uma afronta.

'Se ele se atrever a revogar a lei, nos terá em frente em plena trincheira. Porque não aceitaremos esta atitude retrógrada de privação de direitos civis conquistados democraticamente e apoiados pela maior parte dos cidadãos', desabafou à BBC Brasil Antonio Poveda, presidente da Federação de Lésbicas, Gays, Transexuais e Bissexuais.

O defensor dos direitos dos homossexuais acha que Rajoy 'sempre vai contra os direitos fundamentais de minorias' e que pretende agradar a grupos influentes como a Igreja Católica.

Igreja

O clero espanhol não se pronunciou sobre as promessas de campanha do partido conservador, mas já deu seu parecer sobre as eleições e o que devem fazer os fiéis.

No fim de outubro, a Conferencia Episcopal divulgou um comunicado com o título de 'Nota ante as eleições de 2011', afirmando que 'é nossa obrigação de pastores da Igreja orientar o discernimento moral para a justa tomada de decisões que afetam o bem comum, como é o caso das eleições'.

Sem citar siglas partidárias nem nomes de candidatos, o clero, que participou de manifestações contra as leis do casamento gay e aborto e criticou publicamente o governo socialista por estas medidas, ratificou seus pontos de vista.

A igreja definindo como 'perigosas e nocivas' as leis que 'permitem que casamento seja mais do que uma a união entre um homem e uma mulher'. E afirmou que as 'decisões políticas devem ser morais e justas de acordo com a natureza do ser humano'.

Imigração e tourada

Outras intenções polêmicas do candidato conservador são os cortes em todos os setores, exceto aposentadoria e as privatizações de veículos de comunicação, saúde e educação e a nova lei de imigração.

Rajoy pretende criar um 'modelo de imigração circular', segundo o programa eleitoral. Isso significa que os estrangeiros poderão entrar na Espanha para trabalhar quando houver emprego. Quando estes acabarem, deverão sair do país.

Também quer estabelecer um teste de 'hispanidade'. Para regularizar a situação, o imigrante deverá ser sabatinado sobre a cultura e história espanhola.

Outra das tradições defendidas pelo candidato conservador é a tourada. Rajoy promete blindar a permanência do espetáculo que divide a opinião pública entre os que defendem o evento secular e os que o consideram práticas cruéis contra um animal.

As touradas, segundo o programa de Rajoy, merecem 'proteção de nossa tradição histórica e cultural'.        

veja também