MENU

Fidel Castro diz que Chávez travou batalha decisiva

Fidel Castro diz que Chávez travou batalha decisiva

Atualizado: Segunda-feira, 4 Julho de 2011 as 8:02

O ex-ditador cubano Fidel Castro afirmou no domingo à noite que o presidente da Venezuela, Hugo Chávez, conseguirá uma "grande vitória" na "batalha decisiva" contra o tumor maligno do qual foi operado e se recupera em Havana.

"Sem hesitação afirmo que os resultados são impressionantes e não vacilei em afirmar que o paciente tem travado uma batalha decisiva que o conduzirá, e com ele a Venezuela, a uma grande vitória", escreveu Fidel em um artigo publicado no site oficial cubadebate.cu.

Fidel Castro, que aparece conversando com Chávez em oito fotografias divulgadas com o texto, destacou ainda que Chávez e a equipe de pessoas que o atendem "tem travado a magnífica batalha" da que ele tem sido testemunha.

"Agora os inimigos externos e internos de Hugo Chávez estão a mercê de suas palavras e suas iniciativas. Existirão, sem dúvidas, surpresas para eles."

Fidel também criticou a "odiosa e repugnante campanha desatada pelos meios de comunicação de massa da oligarquia venezuelana, a serviço do império [Estados Unidos]", utilizando as dificuldades de saúde de Chávez.

Chávez chegou a Cuba em 8 de junho e dois dias depois foi operado de emergência de um abscesso pélvico. Mais tarde foi submetido a uma cirurgia para retirada de um tumor maligno.

A TEMPO

O ministro de Exteriores da Venezuela, Nicolás Maduro, disse no domingo que foi retirado por "completo" e "a tempo" o tumor que o presidente tinha na região pélvica.

Maduro afirmou que células cancerígenas se encontravam na região pélvica e não no cólon ou no intestino.

"O tumor foi detectado a tempo, foi retirado por completo. Foi iniciado um processo quase milagroso, ascendente, de recuperação física, de sua força, de sua saúde", disse Maduro em uma entrevista ao canal Televen.

O chanceler venezuelano destacou que os órgãos do presidente estão perfeitos depois da segunda operação a que foi submetido em Havana para extração do tumor.

RETORNO

O vice-presidente da Venezuela, Elías Jaua, estimou que Chávez pode seguir governando o país a partir de Havana (Cuba), onde recebe tratamento médico, por até seis meses.

"Estamos absolutamente seguros, para desagrado da oposição, que o presidente estará aqui antes de 180 dias", disse, sem dizer quando retornará.

Na sexta-feira, Chávez participou, por telefone, de programa na TV cubana, com transmissão simultânea pelas emissoras estatais venezuelanas, e afirmou que a superação da doença o fortalecerá.

"Estamos muito otimistas", disse o presidente de 56 anos, com voz firme, na primeira declaração desde que revelou ter câncer. Chávez agradeceu pelas mensagens de apoio e contou que havia conversado com os presidente Rafael Correa (Equador), Evo Morales (Bolívia) e Cristina Kirchner (Argentina).

veja também