MENU

Forte terremoto atinge o Chile

Forte terremoto atinge o Chile

Atualizado: Sábado, 27 Fevereiro de 2010 as 12

Um terremoto de magnitude 8,8 atingiu o centro-sul do Chile na madrugada deste sábado (27), o maior tremor no país em 25 anos. Pelo menos 85 pessoas morreram, segundo a presidente chilena, Michelle Bachelet. No entanto, informações não oficiais indicam pelo menos 122 mortes. "Quero compartilhar a dor dos familiares das mais de 122 pessoas que perderam a vida neste terremoto... É provável que este número aumente. Temos também muitos feridos", disse o presidente eleito Sebastian Piñera para jornalistas. Foi decretado estado de catástrofe no país.

De acordo com o United States Geological Service (USGS, por sua sigla em Inglês), o terremoto teve seu epicentro a 35 quilômetros de profundidade, na região de Bio Bio, a cerca de 320 quilômetros ao sul da capital chilena, Santiago, e a 91 quilômetros ao norte de Concepción.

Pelo menos 13 réplicas de magnitudes entre 6,9 e 5,2 graus na escala Richter ocorreram nas horas posteriores ao primeiro tremor, registrado às 3h26 no horário local, segundo o Escritório Nacional de Emergência (ONEMI) do Chile.

"Quero pedir calma", disse a presidente chilena, Michelle Bachelet, ao convocar uma reunião de emergência para discutir as medidas após o tremor. "Foi de fato um grande terremoto, mas as instituições estão funcionando. Em breve poderemos ter informação visual sobre o que aconteceu", disse.

O maior terremoto a atingir o Chile no século 20 foi um tremor de magnitude 9,5, que atingiu a cidade de Valdívia em 1960, deixando 1.655 mortos.

O aeroporto internacional de Santiago foi fechado por ao menos 24 horas e todos os voos foram cancelados até novo aviso, segundo relatos de funcionários de companhias aéreas. Os voos, quase todos de longa distância e na maioria procedentes de cidades dos Estados Unidos e Europa, estavam sendo desviados para aeroportos na Argentina, principalmente para a cidade de Mendoza. As companhias aéreas brasileiras TAM e Gol anunciaram o cancelamento de seus voos procedentes de ou com destino a Santiago.

O Chile também está problemas de comunicação, com linhas telefônicas sem funcionar. Várias pontes ficaram danificadas, segundo o subsecretário do Interior, Patrício Rosende.

Os danos materiais também estão sendo avaliados pelo governo. Na região de Araucanía, onde houve vítimas, foram relatados danos a hospitais e redes de infraestrutura básica, como água, gás e eletricidade.

Para o sismólogo britânico Roger Musson, o terremoto deste sábado foi "gigantesco". "Qualquer movimento acima de 8 graus é um grande terremoto", precisou o especialista. Segundo o chefe do observatório sismológico da Universidade de Brasília (UnB), Jorge Sands, o tremor pode ter um impacto violento em desastres humanos e em destroços físicos .

Tsunami

Um alerta de tsunami foi emitido para as zonas costeiras do Chile, Equador e Peru, e depois estendido para a Colômbia, Panamá, Costa Rica, Antártida, Nicarágua, Honduras, El Salvador, Guatemala, as ilhas Pitcairn e a Polinésia Francesa.

 Há relatos de que um tsunami tenha atingido a ilha de Juan Fernandez. Áreas da Ilha de Páscoa (que fica a 3.500 km da costa do Chile no Oceano Pacífico) estão sendo evacuadas pela Marinha chilena, devido ao risco de formação de ondas gigantes após o terremoto.

O tremor também poderá causar danos em todas as ilhas do Havaí, afirmou o Centro de Alerta de Tsunamis do Pacífico. "É preciso tomar medidas urgentes para proteger a vida e a propriedade", disse o Centro em um comunicado. "Todas as costas correm perigo, sem importar a direção que estão", acrescentou. Estima-se que a primeira onda do tsunami chegará ao Havaí às 11h19 (18h19 no horário de Brasília).

  'Interminável'

De acordo com a correspondente da BBC no Cone Sul Valeria Perasso, na região de Araucanía, onde houve vítimas, foram relatados danos a hospitais e redes de infraestrutura básica, como água, gás e electricidade.

Moradores das zonas atingidas pelo terremoto descreveram o tremor como "interminável", e o estado de choque foi sentido nas ruas, em meio a casas destruídas.

Entretanto, lembrou a jornalista, ainda é cedo para fazer uma avaliação dos prejuízos.

Segundo o USGS, os efeitos do tremor foram percebidos no mar de Valparaíso, na costa a oeste de Santiago.

O leitor Mark Winstanley, que contatou a BBC em Viña del Mar, um balneário próximo de Valparaíso, afirmou que os prédios haviam tremido, mas que ele não havia visto ainda sinais de destruição. Telefones e eletricidade estavam cortados, disse Winstanley.

Na capital chilena, relatos dão conta de que os prédios tremeram entre 10 segundos e 30 segundos.

Um professor da universidade de Santiago, Cristian Bonacic, disse que o terremoto havia sido forte, mas que a cidade parecia ter resistido bem. Comunicações via internet estavam funcionando, mas não os telefones celulares.

Um jornalista que falou à TV chilena da cidade de Temuco, 600 km ao sul da capital, disse que muitas pessoas haviam deixado suas residências com medo de desabamentos. Muitas, em prantos.

Depois do terremoto, tremores de intensidade variável foram registrados em todo o país, levando as autoridades chilenas a pedir aos moradores que permaneçam em casa.

Graciela Martín, de Mendoza, no lado argentino da fronteira andina, afirmou que "deste lado da fronteira, sentimos um tremor de cerca de um minuto." Há inclusive depoimentos de pessoas que dizem ter sentido os efeitos no Brasil. A Defesa Civil de São Paulo confirmou os relatos, mas disse que não há danos ou vítimas.

Ajuda internacional

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva pediu hoje ao Gabinete de Segurança Institucional da Presidência e ao Ministério das Relações Exteriores uma avaliação sobre a situação no Chile. O obejtivo é estudar as medidas de ajuda que o Brasil pode adotar em relação aos chilenos.

"O governo brasileiro expressa sua disposição de prestar ao governo e ao povo chileno a assistência que se faça necessária", afirma nota do Itamaraty.

O Itamaraty informa que a embaixada do Brasil em Santiago está trabalhando para dar apoio aos brasileiros que estão no país.

Informações sobre brasileiros no Chile podem ser conseguidas pelo telefone (0/xx/61) 3411 8804 ou 3411 8805. O atendimento nestes telefones será feito entre 10h e 18h. Após esse horário, o Itamaraty pede para entrar em contato pelo telefone (00/xx/61) 8197 2284.

A União Europeia também está disposta a enviar ajuda imediata às vítimas do forte terremoto, anunciou a comissária para Ajuda Humanitária da UE, Kristalina Georgieva.

veja também