MENU

General acusado de genocídio está hospitalizado, diz advogado em Haia

General acusado de genocídio está hospitalizado, diz advogado em Haia

Atualizado: Quinta-feira, 2 Junho de 2011 as 2:47

      O ex-chefe militar dos sérvios da Bósnia Ratko Mladic está no hospital da prisão do Tribunal Penal Internacional de Haia, disse nesta quinta-feira (2) um de seus advogados.

"Ratko Mladic está no hospital da prisão... Ele não teve cuidado médico apropriado por anos e sua situação não é boa", disse Aleksandar Aleksic, advogado indicado pelo tribunal de Haia para defender Mladic.

Ele confirmou que Mladic tem uma mão paralizada devido a um ataque sofrido anos antes, mas disse que o acusado está mentalmente capaz.     Mais cedo, outro advogado de Mladic, Milos Saljic, disse que ele foi submetido a uma cirurgia e foi tratado com quimioterapia devido a um "sério" câncer do sistema linfático.

Mladic, de 69 anos, comparecerá nesta sexta-feira pela primeira vez diante do Tribunal Penal Internacional (TPI) para a antiga Iugoslávia, mas seu julgamento por genocídio, crimes de guerra e contra a humanidade não começará imediatamente.

Na audiência de sexta-feira, prevista para a partir das 10 horas (5h de Brasília), Mladic deverá se declarar culpado ou inocente das acusações, principalmente em relação às vinculadas ao massacre de Srebrenia, em 1995.

Ele poderá solicitar um prazo de 30 dias antes de ter que responder a essa pergunta feita pelo juiz holandês Alphons Orie, que já dirigiu a audiência inicial do ex-presidente Radovan Karadzic.     Imagem de 26 de maio mostra Ratko Mladic no dia

em que foi preso na Sérvia (Foto: Reuters)     "Levará alguns meses antes que o julgamento comece porque precisamos que as duas partes se preparem", afirmou Frédérick Swinnen, conselheiro especial do promotor do TPI para a antiga Iugoslávia, que ressaltou a complexidade do caso.

O julgamento de Karadzic, por exemplo, acusado dos mesmos crimes de Ratko Mladic, começou em outubro de 2009, ou seja, 15 meses depois de sua detenção em Belgrado no mês de julho de 2008.

Criado em 1993 pelas Nações Unidas, o TPI para antiga Iuogslávia funciona segundo as regras de procedimento e de provas obtidas do Direito anglo-saxão: a fase preliminar do processo permite à defesa tomar conhecimento das provas reunidas pela acusação durante a investigação preliminar.

Na manhã de sexta-feira, o juiz Alphons Orie, que atuará sozinho, resumirá as onze acusações contra Mladic. Este poderá, se desejar, pedir ao magistrado que leia toda a ata de acusação, de 62 páginas.

Uma nova ata de acusação, contendo 11 acusações em vez de 15, foi apresentada na quarta-feira pelo promotor Serge Brammertz.

Nesta quinta-feira, a corte designou o advogado sérvio Aleksandar Aleksic para a defesa de Mladic na audiência inicial à espera de que o acusado tenha um advogado permanente escolhido por ele ou designado automaticamente.

A família de Ratko Mladic não assistirá à audiência, segundo seu advogado sérvio e o visitará depois, "com calma" no centro de detenção do TPI.          

veja também