MENU

George W. Bush é perpetuado na Albânia com estátua de bronze

George W. Bush é perpetuado na Albânia com estátua de bronze

Atualizado: Domingo, 10 Julho de 2011 as 11:01

O que ele não conseguiu em sua terra natal acabou conquistando na Albânia. O ex-presidente dos Estados Unidos George W. Bush foi perpetuado no pequeno país balcânico de maioria muçulmana com uma estátua colocada em Fushe-Kruje, uma localidade que o acolheu em 2007 como um herói. Ex-presidente dos EUA George W. Bush ganhou uma estátua na Albânia. (Foto: Arben Celi/Reuters)

A estátua de bronze de três metros de altura mostra Bush de manga de camisa dobrada, cumprimentando com a mão esquerda a partir de um pedestal de pedra colocado na praça central, que também tem seu nome e foi revitalizada para a ocasião.

Participou da inauguração na semana passada o primeiro-ministro, Sali Berisha, que não deixou de elogiar Bush e os americanos com quem os albaneses "estão vinculados como com nenhuma outra nação do planeta".

Berisha lembrou o apoio dos EUA à independência da Albânia em 1912 contra os esforços das "potências europeias que fizeram o possível para apagar do mapa da Europa os albaneses, um dos povos mais antigos do continente".

"A decisão sobre a construção da estátua foi unânime. Sua visita é incomparável. Ele merece tudo isso. Bush prometeu à época a independência aos albaneses do Kosovo e a entrada da Albânia na Otan", fatos que já são realidade, disse à Agência Efe, Arben Kupa, um dos 25 membros do conselho municipal que assinaram a iniciativa.

Ao contrário da recepção calorosa que os 12 mil habitantes de Fushe-Kruje ofereceram a Bush em junho de 2007, a inauguração da estátua contou com pouco mais de cem pessoas, grande parte crianças.

Entre os que faltaram figuram a padeira Klarita Topi, a estilista Luiza Mukaj, assim como o barbeiro, o pastor e a cigana que conversaram com Bush e sua mulher Laura, enquanto o casal tomava um café no bar de Festim Cela.

"Klarita não vive mais aqui. Seu filho ganhou na loteria e foram morar em Nova York. Minha loja está inundada, as máquinas estragaram e não consegui ir (à inauguração da estátua). A chuva entrou porque quando asfaltaram a rua taparam a canalização", queixa-se Arben, irmão de Klarita, que administra a padaria visitada por Bush.

Também Festim, que batizou seu bar com o nome de George W. Bush em homenagem ao hóspede especial, ainda não viu a estátua.

Diz que o povo tem curiosidade para vê-la, mas que sua preocupação principal agora é o desemprego e os altos preços.

Em seu bar vazio afirma entristecido que seu negócio está em crise da qual nem mesmo o nome de Bush o pode salvar, nem a mesa, nem a cadeira onde ele se sentou, "objetos de culto" que antes serviam para atrair visitantes.

"Como Bush poderá gostar de nós se nem os nossos políticos gostam? Com 100 mil euros que custou a estátua e a reforma da praça teriam garantido pão durante um ano a todos os pobres de Fushe-Kruje", disse Fatime que vende cigarros na praça para manter seus dois filhos.

"Eu não gosto da estátua. Foi feita sem relógio. Isto dá razão para os que nos acusaram de que roubamos o relógio de Bush", declarou indignado Agim. Na época, a Casa Branca negou que o relógio tivesse sido roubado.

A única que não perdeu o entusiasmo de 2007 é a idosa Thomaidha Kaziu, apesar de no ano passado ladrões terem levado de sua casa a caneta que ganhou do ex-presidente.

Com a foto de Bush na mão e sentada no sofá de sua humilde casa onde vive sozinha, ela recita com paixão: "Chegaste sem mãe e aqui em Fushe-Kruje encontraste uma".

Com estes versos, a mulher de 73 anos, de religião ortodoxa, lembra o "inesquecível" momento em que Bush a abraçou e disse que ela se parecia com sua mãe.

veja também