MENU

Governador do Oregon suspende pena de morte

Governador do Oregon suspende pena de morte

Atualizado: Quarta-feira, 23 Novembro de 2011 as 9:24

John Kitzhaber, governador do Oregon, diz que seu

governo não vai executar mais nenhum condenado.

(Foto: Don Ryan / AP Photo) O governador do estado americano do Oregon, nos Estados Unidos, John Kitzhaber, suspendeu nesta terça-feira (22) a pena de morte no território por considerá-la "moralmente equivocada", impedindo, assim, a execução pendente de um prisioneiro marcada para dezembro.

"A pena de morte praticada no Oregon não é imparcial nem justa, nem rápida nem certeira. E não é aplicada de maneira igual a todas as pessoas", justificou Kitzhaber, governador desde 2010 pelo Partido Democrata.

Com a decisão desta terça, os 37 prisioneiros que permanecem no corredor da morte nesse estado da Costa Oeste americana evitam a pena capital pelo menos até 2015, quando termina o atual mandato do governador.

"É hora de Oregon considerar outra abordagem. Eu me recuso a fazer parte deste sistema desigual e danificado por mais tempo. Não permitirei mais execuções enquanto eu for governador", acrescentou o político, em entrevista coletiva.

Condenado pelo assassinato da mãe da

ex-namorada, Gary Haugen, não será executado no

Oregon. (Foto: Arquivo / Don Ryan / AP Photo) Desde que Oregon retomou a pena de morte em 1984, apenas dois prisioneiros foram executados, justamente durante o último mandato de Kitzhaber, que já foi governador nos períodos 1985-1992 e 1995-2003. "Foram as decisões mais angustiantes e difíceis que tive como governador. Tive de revisá-las e questioná-las várias vezes nos últimos 14 anos", acrescentou Kitzhaber.

Ao longo de 2011, os Estados Unidos executaram 43 detentos. O único caso pendente era a execução de Gary Haugen - justamente no Oregon -, condenado pelo assassinato da mãe de sua ex-namorada.

Em 2010, o número total de execuções nos EUA foi de 46, segundo a ONG Centro de Informações sobre a Pena de Muerte. Dos 50 estados dos EUA, 35 deles (incluindo o Oregon) mantêm vigente a pena de morte.        

veja também